sábado, 30 de dezembro de 2006

Reacções

Saddam Hussein foi enforcado às 06h00 locais (03h00 em Portugal) num local não identificado fora da Zona Verde, a área de alta segurança onde ficam as instalações do governo iraquiano e as sedes das embaixadas dos Estados Unidos e do Reino Unido. A execução decorreu três dias depois de o tribunal ter indeferido o recurso apresentado pela defesa contra a condenação por pena de morte. Condenação essa relativa à morte de 148 xiitas em Dujail, na década de 80. As reacções não demoraram a chegar:
  • O Conselho da Europa condenou a execução desta madrugada. Consideram Saddam um "ditador impiedoso, mas não era preciso matá-lo". E acrescenta: "Os iraquianos precisam de justiça, de reconciliação e de paz, não de enforcamentos e vinganças". Considerou esta como uma oportunidade perdida pelo Iraque para se juntar ao mundo civilizado, e apelam à retirada da pena de morte na legislação iraquiana;
  • O Vaticano considerou esta morte como "uma notícia trágica". "Existe o perigo de que isto alimente o desejo de vingança e traga novos episódios de vingança. A morte de uma pessoa é um motivo de tristeza, incluindo quando essa pessoa foi culpada por vários delitos. A Igreja Católica reitera a sua oposição à pena de morte em todas as circunstâncias". E concluiram: "Com a morte de um culpado não se abre caminho para reconstruir a Justiça e reconciliar a sociedade";
  • Romano Prodi, primeiro-ministro italiano manifestou-se preocupado por esta execução "poder agravar as tensões no Iraque;
  • O vice-ministro iraquiano dos Negócios Estrangeiros, Hamid Reza Assefi, considerou esta execução como "uma vitória para os iraquianos". O primeiro-ministro iraquiano, Nuri al-Maliki congratulou-se com esta morte mas apelou à reconciliação com os partidários do antigo regime: "Foi feita justiça em nome do povo iraquiano, com a execução do criminoso Saddam, o que torna impossível o regresso da ditadura do partido único;
  • Israel declarou que com este enforcamento "se fez justiça";
  • O primeiro-ministro japonês, Shinzo Abe, reiterou o seu apoio ao Iraque mesmo depois da execução ter sido consumada;
  • Na Líbia foram decretados três dias de luto oficial pelo "prisioneiro de guerra Saddam Hussein";
  • O governo indiano mostrou-se indignado pelo acto e mostrou-se infeliz por ele. No dia 27 de Dezembro, o país tinha pedido uma comuta da pena de morte de Saddam, à qual se opunha por entender que o processo de justiça devia ser credível, por considerar que se não o fosse ia contra a paz e reconciliação iraquianas;
  • O ministério russo dos Negócios Estrangeiros lamenta a execução e afirma: "Infelizmente os numerosos apelos de representantes de diversos países e organizações internacionais para que as autoridades iraquianas revissem a pena capital não foram ouvidas";

E as mortes no Iraque continuam sem parar...!

A minha (e a vossa) vergonha

Que este seja considerado como um dia para esquecer, pela vergonha sentida quando um amigo me disse de manhã: "já sabes o que aconteceu ao Saddam?" À hora de almoço ainda não acreditava na verdade dos factos, que o mundo tivesse chegado a este ponto, mas fiquei pior quando vi os Americanos a buzinar, e uma senhora a dizer "graças a Deus, Saddam morreu!".

Não defendo Saddam Hussein, condeno-o por aquilo que fez e acho-o merecedor de um castigo, mas não desta forma! Mas já que ele o foi, outros deveriam seguir-lhe o "exemplo"!

Gostava de saber o que as pessoas entendem por "massacre"! Se ordenar um massacre significa dizer directamente "Matem todos os habitantes da aldeia!", ou se massacre significa a morte devido a ordens vindas de alguém, sejam directas ou indirectas. Se a segunda definição for a eleita para o mundo, então teremos mais candidatos à pena de morte, por enforcamento ou apedrejamento. Tínhamos o falecido Pinochet, já falecido sem ter sido submetido a julgamento por aquilo que fez, levando até ao final uma vida de liberdade (prisão domiciliária... pois sim!) e riqueza, teremos o sr. George Bush (ou quem é o responsável plas mortes de milhares e milhares e milhares e milhares de iraquianos e milhares de americanos) e mais uns capangas seus, o Fidel, o Somoza, e um sem número crescente de outros nomes! E estes, nunca vão ser julgados? Ou afinal, quais os critérios para se ser um ditador cruel e ser condenado à morte? Quem ordenou o massacre de X pessoas!?

Sempre fui contra a pena de morte e isso nem sequer está em causa, qualquer que seja a pessoa em questão. Por outro lado, os mentores de tal acto só irão piorar as coisas... qualquer pessoa minimamente inteligente e racional sabe que por aquilo que a história já nos disse e pela própria psicologia humana básica (!!!), se um líder é morto transforma-se imediatamente num mártir. E é isso que vai acontecer. Não entendo como podemos cooperar desta forma com tudo aquilo desejado pelo governo americano! O julgamento totalmente parcial a que Saddam foi submetido estava totalmente controlado pelos líderes americanos, acredito mesmo que antes do ínicio do julgamento já houvesse uma sentença definida! É a isto que eles chamam democracia? É este o exemplo que querem dar ao mundo relativamente à democracia que tanto advogam? Porque Saddam não foi entregue ao Tribunal Penal Internacional?

Não defendo o ditador, nem nunca defendi mas tenho a certeza que o Iraque estava melhor quando ele era o seu líder. Sempre fui contra a invasão por ser mais do que óbvio que o Iraque se ia transformar num segundo Vietname, pior do que aquele tinha sido. A guerra civil de hoje era previsivel há uns anos atrás, ainda antes de derrubarem a estátua de Saddam no país que liderava. Hoje morrem centenas de pessoas DIARIAMENTE, que duvido que morressem caso os Estados Unidos não tivessem invadido de forma ilegal o país. Transformaram o espaço numa plena guerra civil diária de sunitas contra xiitas, e agora, com a "desculpa de um plano qualquer, elaborado por um membro da família Bush" vão anunciar a retirada. Está previsto que isso aconteça no próximo mês. E todos continuamos a sorrir, a concordar, a acenar a cabeça a este tipo de pessoas que apenas são os líderes do país dominante no mundo. Que hipócrita que me sinto!

A sentença foi anunciada num momento chave da política americana, tal como a execução da sentença. Será que ninguém entende? E se entende, ninguém faz nada!? Como é possível não entenderem que isto apenas se tratou de uma questão de vingança... A comunidade internacional não pode fechar os olhos a uma tirania deste género de Washington! Mas já nao devia ter fechado os olhos desde o ínicio... agora que começaram, já ninguém os consegue travar nas suas vontades.

E a pressa com que Saddam foi executado! Também não ha justificações para isso? São histórias muito mal contadas, que acredito que nunca o vão ser verdadeiramente contadas por via das forças, mas eu como cidadã gostava de as ver esclarecidas! Sãoi muitas perguntas com a mesma resposta e orientação... são muitos pormenores que não entram no meu mundo!

Sem mais palavras de raiva e rancor termino, com o desejo de esquecer que este dia aconteceu, que a humanidade teve coragem para cooperar permanentemente, desde o seu inicio tão previsivel, com esta realidade! E espero que 2007 traga mais sorriros e não tantas vergonhas...

O balanço

Ontem no silêncio de uma noite demasiado calma, lembrei-me de conferir se os meus desejos pensados à meia-noite de 2006 se tinham concretizado. E descobri que muita coisa ficou por dizer e pensar, mas outras aconteceram de forma inesperada, para meu espanto.

Não tinha desejado um ano tão bom em termos de amizade. Sobretudo porque sou muito exigente e facilmente fico decepcionada com a minima atitude (já é bom admitir, não é?), apesar de me passar depressinha. Mas, e olhando para trás, acho que não me posso queixar de ninguém, pelo contrário... o mesmo já não posso dizer dos outros, até porque tenho a perfeita noção que às vezes desligo do mundo real e esqueço-me de que as pessoas também precisam de mim, tal como eu delas! Algo a melhorar em 2007.

Também no amor desejei algo, mas agora passado algum tempo suspiro ao pensar que o desejo não se concretizou. Maldade ou exigência? Talvez ambas, um pouco mais da segunda! Acredito que quando alguém nos "faz mal" (há várias maneiras, não tem necessariamente de nos bater ou injuriar, ou passar para trás... basta viver sem dizer que caminho seguiu, mantendo-nos na ignorância), por mais que gostemos dessa pessoa, acabamos sempre por "odiá-lo" um pouco, e se ela não se esforçar para inverter a situação, ela mántém-se com tendência para piorar. E como é óbvio, depois do mal feito não há volta a dar-lhe, desculpas e justificações são escusadas (se toda a gente fosse assim...). Espero nunca mais o ver apenas para não fingir que sou simpática sem o querer ser, e sem haver nenhuma razão para isso acontecer! Mas também quem me conhece sabe quando estou a fingir... acho! Novo ano, vida nova não é o que se diz?

Nem sempre estamos preparados para algo mais sério ou com planos já definidos sem nos perguntarem se concordamos... às vezes é preferível darmos um tempo a nós próprios para criarmos o nosso próprio caminho, o nosso cantinho, o nosso futuro... e se entretanto o amor surgir devemos agarrá-lo com unhas e dentes. Se não aparecer... continua a ser bom ouvir o silêncio da noite sozinha...! Antes só que mal acompanhada... ou acompanhada sem o estar verdadeiramente!

Família... alguns stresses, mas a relação com o meu pai melhorou, um pouco por ter sentido, "ai ela saiu de casa!"... piorou a distância da mãe. A Sofia está de boa saúde, desarruma a casa toda mas ainda não diz "tia" ou "madrinha", suponho que seja mais complicado que mama, papá ou avó (aba na linguagem sofianesca!).

Os meus animais continuam lindos e continuo a morrer de saudades deles, sobretudo à sexta-feira quando me lembro que os vou ver no dia seguinte. O Pataco "chorou" (chorar à cão, claro) na última terça-feira quando me viu a meter as malas no carro... os gatos automaticamente apareceram do seu passeio matinal para me ver sair (novamente!)... não podia ser melhor esta minha 2ª família!

Outro dos desejos era conseguir ter um bom estágio! Relativamente a isso há um lado positivo e outro negativo. Começando pelo lado bom, fui para onde quis e tenho o orientador que sempre desejei... e mais, ele é melhor e ajuda-me mais do que eu alguma vez tinha sonhado. Portanto até aqui não me posso queixar. O estágio propriamente dito não está a correr como tinha planeado, ou então foi o primeiro mês que foi demasiado perfeito. Só fazemos as sobras, não nos tratam com dignidade (com poucas excepções) e humanismo, mandam-nos fazer o trabalho que mais ninguém quer e não somos valorizadas sequer como seres humanos. Pode parecer estranho porque sou eu que o digo, mas há dias em que saio à porta para fora e a única coisa que me apetece fazer é chorar ou esbofetear alguém. Já para não falar dos dias em que estamos na redacção e não temos nada para fazer... nesses nem consigo descrever o que sinto, nas horas que parecem anos....! E há coisas que nem posso dizer aqui, porque desconfio que nos mexem nos computadores quando vamos lanchar... a curiosidade parece não ter limites por aqueles lados!

Para 2007 apenas vou pedir uma vida profissional! É a única coisa que me interessa neste momento... para além de paz, amor e saúde... aquelas coisas que nos fartamos de repetir todos os anos e por conseguinte se tornam banais, mas que são a mais pura das verdades! Espero que 2007 seja um ano a reter tal como 2006, com coisas menos boas mas com coisas MUITO boas!

P.S.: A ilustrar uma das melhores músicas do ano! Apenas uma...!

P.S.1: Já acabei com uma caixa de bombons... faltam quatro :)

quinta-feira, 28 de dezembro de 2006

A equação do amor

Uma pessoa desesperada decidiu fazer a seguinte equação para tentar provar matematicamente, que por mais que tivesse feito, o gajo já estava a abusar (palavras ditadas por ela a moi num bar ontem à noite):
84 ---------- 7
3 ---------- x

Ou seja, 84 equivale ao tempo que A andou com B, em meses. 7 são os meses que A demorou a terminar tudo com B para ficar com C, ou seja, C esteve à espera de A durante 7 meses! Entretanto C anda com D à 3 meses, e por isso A resolveu fazer esta equação.

Ora portanto... e se bem se lembram, isto faz-se assim: 3 vezes 7, o que equivale a 21 (sem máquina de calcular!!!... ao contrário de muitos..), que irá ser dividido por 84. Isto para saber quanto tempo terá A de esperar por C... o resultado é 0.25. Ora colocando este valor em dias de um mês, A fez outra equação:

1 ---------- 31
0.25 ------- x

Procedendo da mesma forma temos: 0.25 vezes 31, a dividir por um (esta só mesmo para quem não entende nada de matemática! duh!). O resultado é 7.75 dias, que A bondosamente arredondou para oito! Ou seja, e conclusão da história... C deveria demorar 8 dias a terminar com D para ficar com A!

Se atentarmos na história vemos que A sendo a prejudicada foi uma pessoa muito bondosa por duas razões. Por um lado, colocou um mês como tendo 31 dias, quando metade dos meses tem menos (um até é bem mais curto, tendo ora 27 ora 28). E por outro lado, arredondou o valor final de 7.75 para 8, dias neste caso. Digam lá se A não merece ficar com B, só por esta caridade extrema!?

Espero que tenham entendido a história, tentei ser o mais explícita possível e não colocar piadas pelo meio para não tornar as coisas mais complexas, mas a verdade é que enquanto escrevi este post não parei de sorrir. Isto foi me contado numa destas noites por um dos protagonistas da história, estranhamente é verídica e quando foi pensada o autor não estava nem bêbado nem drogado. O mundo está repleto de pessoas estranhas, não?

segunda-feira, 25 de dezembro de 2006

Uma história de vida

Milhares de africanos partem desesperados dos seus países natais para sítios onde acreditam que não irão passar fome. Isso nem sempre acontece e muitos morrem nestas travessias, como muitas notícias dos meios de comunicação relatam nos tempos actuais!

Os governos elaboram novas regras para tentar travar esta emigração desenfreada mas esquecem-se de solucionar o problema na base e não na consequência. Ou seja, se os países de onde são originários tivessem melhores condições de vida para eles e para as suas numerosas famílias, a emigração não seria algo quase imposto para sobreviver, mas sim uma opção tal como existe em todos os países minimamente desenvolvidos do mundo!

O El Pais recolheu uma história fantástica, que descobri através do Público. Vale a pena ler, aqui!

Já o referendo

A mais de um mês da data do referendo já a campanha é feita da pior maneira possível, misturando política com religião, opinião e racionalidade. Tudo junto não surte um efeito positivo...!

O substituto do bispo do Porto, internado há dois meses depois de ter sofrido um acidente vascular cerebral, comparou ontem na missa do Galo, a interrupção voluntária da gravidez à prática medieval, "Roda dos Meninos". A Roda dos Meninos é o nome dado a uma roda existente nos mosteiros na Idade Média, onde as crianças indesejadas, ou com pais demasiado pobres, ou por outra razão qualquer (há tantas...) eram deixadas! "Todas as interrupções naturais ou provocadas são actos prematuros e imaturos", afirmou D. João Miranda, administrador apostólico do Porto.

Em resposta, o movimento Cidadania e Responsabilidade pelo Sim, contrapôs que esta comparação não tem razão de existir, porque não são coisas comparáveis, até porque o feto com 12 semanas ainda não é considerado uma criança. E acusaram a Igreja de tentar misturar coisas diferentes e confundir as pessoas, lamentando ao mesmo tempo a forma como está a encarar e coordenar o referendo de 11 de Fevereiro do próximo ano.

O Papa Bento XVI também falou ontem, na missa do Galo na basílica de São Pedro no Vaticano, sobre o respeito pela dignidade de todas as crianças, nascidas e ainda por nascer. O Pontífice evocou "as crianças que, como soldados, são envolvidas num mundo de violência", "as crianças obrigadas a mendigar", "as que sofrem a miséria e a fome", e as "crianças que não têm amor algum". Palavras ditas, dias depois de o Vaticano se ter recusado as exéquias religiosas a Piergiorgio Welby, devido à sua vontade de morrer ser contra a doutrina da Igreja.

domingo, 24 de dezembro de 2006

Finalmente...!

Saiu hoje, com chamada na capa! Na internet não está a informação toda... por isso o melhor será mesmo comprar o jornal!

Feliz Natal para todos!!... eu já recebi uma prendinha... a primeira de várias, espero!

quarta-feira, 20 de dezembro de 2006

Mais uma morte....

A jornalista da TSF, Leonor Colaço, faleceu esta manhã vítima de uma paragem cardíaca. Tinha 39 anos e trabalhava na TSF há seis, depois de ter passado pela antiga Correio da Manhã Rádio, Rádio Comercial e pelo jornal Expresso.

domingo, 17 de dezembro de 2006

Uma das... melhores!

Apeteceu-me ouvir isto hoje vezes sem fim... não sei porque! Talvez devido ao céu cinzento e nublado, ou às estrelas escondidas e tímidas...!

Feeling

When you try your best but you don't succeed
When you get what you want but not what you need
When you feel so tired but you can't sleep
Stuck in reverse

When you lose something you can't replace
When you love someone but it goes to waste
Could it be worse?

Lights will guide you home
And ignite your bones
And I will try to fix you

But if you never try you'll never know
Just what you're worth

Hábitos dos adolescentes

Foi realizada uma investigação nos adolescentes portugueses, com o fim de descobrir os hábitos e maneiras de estar na vida. Os resultados deste ano são animadores por um lado, e preocupantes por outro, mas no geral revelam uma inversão dos resultados de 2002:

Existem menos fumadores do que há quatro anos atrás segundo o estudo, havendo uma maior prevalência entre as raparigas. Mas o que era considerado "moda" há uns anos atrás deixou de ter esse conceito, e eles estão cada vez mais alertas para os perigos desta droga legal. Apenas 5% dos inquiridos admitiu que fumava.

Há um maior cuidado e informação no uso do preservativo, havendo assim também uma maior informação sobre as doenças passíveis de serem transmitidas sem o uso dele. «A ideia de que é melhor esconder a sexualidade dos jovens, porque se sabem muito do assunto vão a correr experimentar, não é de todo verdade», é uma ideia defendida por Margarida Matos, coordenadora deste estudo, que se realizada em cada quatro anos.

Mas nem tudo são boas notícias, e uma das más é o aumento do consumo de alcool entre os adolescentes. A verdade é que começam a sair para discotecas e bares mais cedo, e 6% dos adoescentes atingidos por este estudo admitiram que já estiveram embriagados mais do que quatro vezes. Os resultados não foram tão preocupantes nos anos anteriores, com o ano de 2002 a revelar uma taxa de 5,3% e 4,2% quatro anos antes. Nos adolescentes com mais de 16 anos, este valor aumenta para 20% dos inquiridos.

Outra das conclusão é a alimentação que está a piorar cada vez mais. Os jovens tomam frequentemente o pequeno-almoço na escola, consumindo bolos e sumos doces, evitando o leite! Os vegetais e a sopa são cada vez menos ingeridos com o consentimento dos pais, e os almoços passam a ser frequentes no MacDonald's! Estes péssimos hábitos alimentares tem levado a um crescimento de determinadas doenças causadas exactamente pelo facto de a alimentação não ser a ideal. Problemas relacionados com o cólon, intestinos, a própria obesidade, diabetes... doenças que podem ficar para o resto da vida e causar imensos transtornos a quem a possui. É tão fácil de evitar...!

sábado, 16 de dezembro de 2006

Meandros dos futebóis

Pinto da Costa recusa demitir-se do cargo de Presidente do FCPorto, como já era esperado. Não sou das que apela à sua demissão, até porque acho que não tem de o fazer apenas devido às actuais circunstâncias. Não sei se há mais quem admita isto, mas a verdade é que as acusações que a sua ex-companheira fez, já eram do conhecimento de todos! Ou não? E a algum tempo... ou não? Vamos lá a ser sinceros, esquecendo a cor do coração!

Quantas vezes o Porto venceu favorecido pelos cartões do árbitro, ou pelas faltas assinaladas ou omitidas? Sabemos que foram muitas... tal como o Benfica também já tem, infelizmente, alguns jogos desse género no historial, se bem que não tem tantos como o clube da invicta. Sou benfiquista e admito isto! Qual o problema de os portistas também o admitirem? Na segunda-feira ouvi o Miguel Guedes na Antena 1 e o que ele disse não me surpreende por já ter tido uma conversa com ele sobre isto: não acredita nas acusações de Carolina, porque para ele o Pinto da Costa é intocável... é o coração a falar e a sobrepôr-se à razão!

Desde que estou no norte, já ouvi muitas histórias sobre o Porto, que não me surpreenderam. O facto de o líder dos Super-Dragões ter um Porsche até ao facto de alguns elementos da PJ estarem totalmente vinculados ao FCP, e apenas a eles obedecendo. E sinceramente não acredito que este caso, como outros que andam nos tribunais deste país, vá condenar alguém!

Porque não gosto do Natal

  1. Porque há muita gente em todo o lado, onde quer que vá ;
  2. Porque há um consumismo desenfreado ao lado de fome, miséria, pobreza...;
  3. Porque as pessoas ficam histéricas com algo tão simples e que poderia acontecer todos os dias se estivessemos dispostos a isso;
  4. Porque se nota com mais exactidão as diferenças económicas que existem na nossa sociedade, e é exactamente nesta época que nos esquecemos delas;
  5. Porque as ruas estão demasiado enfeitadas, e é gasto imenso dinheiro em luzes, energia e jantares hipócritas de solidariedade ou trabalho;
  6. Porque já não acredito no Pai Natal;
  7. Porque à noite o céu não tem estrelas!

P.S.: Numa das minhas saídas nocturnas pelo norte do país, encontrei alguém muito novo, talvez com a minha idade, a remexer desenfreadamente nos caixotes do lixo! Suponho que não estivesse à procura de droga ou álcool, mas com certeza de comida. Eram duas da manhã... e estava frio... e ele estava sozinho na rua, com fome...!

E não entendo porque se gasta tanto dinheiro com luzinhas de Natal, energia paga a preço de ouro... e do outro lado da barricada existe alguém que tem fome! Fome... fome... já alguma vez sentiram fome?

Assim, o mundo não é definitavamente para mim!

P.S.1: Foi um dia pouco stressante, talvez a razão para tudo isto seja essa.

E estou irritada (aviso já para logo não se queixarem! eheh)... algo raro nas últimas três ou quatro semanas. É bom sentir o vício novamente a borbulhar, tocar no rato e imaginar que é preto e não vermelho, olhar para o ecrã e não o ver branco. Nice :)

quinta-feira, 14 de dezembro de 2006

Vou sair agora... :)

A canção mais triste

O tema The Drugs Don't Work dos The Verve foi considerado por um estudo científico como o tema britânico mais triste e capaz de suscitar o choro.

Este estudo foi realizado por um especialista em fisiologia que realizou vários testes que mediram o ritmo cardíaco, a respiração e a temperatura da pele, enquanto voluntários ouviam músicas consideradas tristes de uma lista da Official UK Charts Company. O tema dos The Verve superou nas emoções tristes e deprimentes, canções como Angles de Robbie Williams, e Sorry Seems To Be The Harvest Word de Elton John.

"A música é sem dúvida muito poderosa e provoca diferentes estados emocionais, derivado pelas alterações de tempo e frequências. Uma música como esta dos The Verve abranda o batimento cardíaco, comparado com a maioria das outras canções. Por outras palavras, funciona como indutor de um estado emocional de tristeza" segundo Harry Witchel, responsável do estudo em questão que analisou diferentes reacções físicas perante canções capazes de suscitar o choro.


Eis a lista das dez músicas mais tristes:
1. The Verve - The Drugs Don't Work
2. Robbie Williams - Angels
3. Elton John - Sorry Seems To Be The Hardest Word
4. Whitney Houston - I Will Always Love You
5. Sinead O'Connor - Nothing Compares 2 U
6. Will Young - Leave Right Now
7. Elvis Presley - Are You Lonesome Tonight?
8. Christina Aguilera - Beautiful
9. James Blunt - Goodbye My Lover
10. Radiohead - Fake Plastic Trees

Do meu ponto de vista concordo plenamente com o resultado deste estudo... esta canção dos The Verve, cantada pelo lindíssimo Richard Ashcroft, é de facto triste e deixa-nos melancólicos e a pensar em coisas pouco animadoras. Não necessariamente na droga como a heróina ou a cocaína, mas noutro género de drogas que temos na nossa vida.

domingo, 3 de dezembro de 2006

Confissões aos 91 anos

Augusto Pinochet admitiu através de uma declaração lida pela sua mulher em Santiago do Chile, a sua responsabilidade política por tudo o que fez no Chile, entre 1973 e 1990, em que milhares e milhares de presos políticos foram assassinados e torturados.

A arrogância ditou o seguinte: "Hoje, perto do fim dos meus dias, quero dizer que não guardo rancor contra ninguém, que amo a minha pátria acima de tudo e que assumo a responsabilidade política por tudo o que foi feito e que não tinha outro objectivo senão tornar o Chile maior e evitar a sua desintegração". Rodeado pela sua família, defendeu o sangrento golpe militar que depôs Salvador Allende, presidente marxista e eleito em escrutínio livre. Jusfificou este acto como sendo necessário para evitar uma desintegração do país. No exterior cerca de 200 apoiantes cantaram-lhe os parabéns e entoaram "Longa vida ao Chile! Longa vida a Pinochet!", ao som de uma banda de mariachi que tocou uma das suas músicas favoritas.

Este comunicado lido no passado dia 25, data de aniversário de Pinochet, também serviu para enviar uma palavra de apoio e apreço "aos seus camaradas de armas, muitos dos quais estão presos, sofrendo perseguições e vingança", denunciando a violação dos direitos humanos de que foram vitimas os oficiais nos julgamentos. Também lamentou as perseguições, humilhações e injustiças de que tem sido alvo,tal como a sua família.

Confiante na justiça que a História lhe fará no futuro, o ex-ditador chileno terminou o seu discurso dizendo que "estou absolutamente seguro de que amanhã, depois das paixões políticas e dos ressentimentos terem chegado ao fim, a história julgará objectivamente o nosso trabalho e reconhecerá que colocamos o Chile no topo das nações do nosso continente."

Dois dias depois de ter proferido estas declarações, Pinochet foi colocado sob prisão domiciliária por conexão com o assassínio de dois guarda-costas do ex-presidente Salvador Allende, o homem que ele derrubou num golpe de estado em 1973.

Hoje de madrugada Augusto Pinochet sofreu um ataque de miocárdio, e foi de imediato internado num hospital militar em Santiago do Chile. O seu estado é considerado estável depois de uma intervenção cirúrgica ao coração para realizar um by-pass ou cirurgia de vascularização, estando neste momento a respirar sem assistência mecânica. No entanto, e apesar do ex-ditado estar consciente, a sua situação clínica é considerada como sendo grave.

De relembrar que a ditadura de Pinochet (1973-1990) foi responsável pela morte por motivos políticos de 3197 mortos, entre os quais cerca de mil pessoas desapareceram e cujos corpos ainda não foram encontrados. Cerca de 28 mil foram presos ilegalmente, torturados e alguns forçados ao exílio. Esta é a primeira vez que Pinochet assume a sua culpa nestes actos, sendo muitas das vezes acusados e culpados os seus subordinados pelos abusos e violações da lei. No entanto, o antigo ditador está indiciado em dois casos de violação de direitos humanos e fuga ao fisco, e estão pendentes dezenas (e dezenas!) de processos criminais, movidos por vítimas ou familiares das vítimas. Os tribunais têm abandonado estas acusações devido à saúde débil de Pinochet.


Independente de volta?

Quem disse que o jornal Independente tinha terminado?

Ah! Tudo necessita de um tempo de descanso ou de uma morte, para poder renascer com mais força, e esperemos que melhorzito!

O projecto de Pedro Pimenta, antigo administrador do jornal, carrega um título que demonstra este renascimento ou ressurreição: O Novo Independente! O projecto pretende que a publicação seja gratuita e distribuída por ardinas à sexta-feira ou ao Sábado.

Mas toda esta ideia está dependente da compra do antigo título. A assembleia-geral de credores está marcada para 6 de Março do próximo ano, e só aí é que se saberá se se poderá lançar um gratuito com o mesmo nome. Mas Pedro Pimenta avisa que se a resposta sair negativa desta assembleia, irá mesmo assim avançar com uma nova marca, ou em última hipótese irá desistir do projecto.

Compra de órgãos

Muitos doentes norte-americanos necessitados do transplante de um órgão dirigem-se a países pobres como o Paquistão, para comprar a um dador vivo o órgão de que necessitam, ficando assim o trabaplante substancialmente mais barato. Os órgãos mais procurados são os rins, que chegam a custar cerca de 190 mil euros nos Estados Unidos, e quando comprados num país pobre, a custam apenas 15 mil euros. Para fazer face a este problema, alguns médicos norte-americanos estão a defender a regulamentação dentro do seu país, da compra de órgãos a dadores vivos.

A Organização Mundial de Saúde calcula que cerca de 10% dos transplantes renais que se efectuam no mundo implicam este tipo de viagens a países subbdesenvolvidos. A Índia chegou a ser conhecida como o "bazar dos rins" em 1995, mas a situação melhorou quando o Governo se empenhou no combate a este tráfico.

Fazendo um tacho...!

A Cabra inquiriu o que estão a fazer os últimos dez presidentes da direcção-geral da Associação Académica de Coimbra, a maior do país!

1995-1996 : Zita Henriques de Engenharia Química
Profissão actual: vereadora da cultura, educação e acção social na Câmara Municipal de Penacova

1997-1998: António Silva de Economia
Administrador da TBZ (Estádio Cidade de Coimbra)

1999: Hugo Capote de Medicina
Médico em Portalegre (É O MEU ÍDOLO... apenas por estar a exercer a profissão para a qual se formou... ainda para mais em Portalegre!!! É de louvar neste cenário)

2000-2001: Humberto Martins de Farmácia
Secretário-geral da Ordem dos Farmacêuticos

2002-2003: Victor Hugo Salgado aka Dodot de Direito
Assessor do Ministério do Trabalho e Segurança Social
(E segundo fontes não confirmadas, foi-me dito que foi ele quem organizou a Queima das Fitas o ano passado, ou seja, quem contratou as bandas... lembram-se do desfalque?!)

2004: Miguel Duarte de Economia
Consultor da multinacional francesa Capgemini (mEiO íDoLo)

2005-2006: Fernando Gonçalves aka Guterres de Direito
Finalista no curso e no mandato!

Concluo que vale bem a pena o "sacrifício", e que isto também é uma boa contribuição para o sub-desenvolvimento que caracteriza o nosso país desde há muitos anos!! Os jovens têm sempre grandes sonhos, muita força e preserverança para mudar o mundo, para mudar aquilo que não funciona bem... como a política! Neste caso, ou já não são jovens ou nunca o foram...! Pena que os outros "jovens" continuem a andar nas manifestações ou nas greves às aulas, sem saber o que verdadeiramente move os seus líderes. Ou não sabem por distracção, ou por não se importarem com estes "pormenores" que o jornal universitário de Coimbra muito bem publicou para que todos saibam! Quantos pensam que estão a ser "jovens em acção" com toda a sua coragem, força e irreverência, mas afinal apenas estão a ser joguetes na mão de manobradores com a lição bem estudada.

Muitos jovens querem ir embora de Portugal por estarem fartos deste tipo de "jogadas" que apenas favorece os já favorecidos. A maioria de nós tem medo do futuro que parece sempre indefinido, estremece ao ler e ouvir que os postos de trabalho para a formação que desejámos são cada vez menos, que as dificuldades vão ser conhecidas e o esforço terá obrigatoriamente de ser feito, doa a quem doer.

Quantos de nós vamos estar daqui a seis meses a fazer aquilo que gostamos?
Já para não falar da remuneração... que para mim é o menos importante, como costumo dizer: "desde que dê para o arroz"!

Definitivamente não tenho a paciência como virtude!