quinta-feira, 20 de setembro de 2007

I Miss U!

Estava a ouvir esta música e encontrei este video que me fez, novamente, sentir-te! Infelizmente...!

"If heaven in on the way"

domingo, 16 de setembro de 2007

18.15h a sair da minha cidade com Nirvana como companhia

Felizmente hoje não há barulho, descontracção ou estranhos nauseabundos e descontentes com a sua sorte. Felizmente hoje consegui um cantinho só para mim. Egoísta que sou, por nada nem ninguém mo conseguir imprimir… dividir não me incomoda, se bem que estou farta. Não de dividir mas de notar que a divisão supostamente feita, na realidade não o é. Estou farta que achem que tenho um problema não relacionado com a realidade. Cansada de ficar quieta, de fazer os outros felizes sem pensar primeiro se isso a mim também me faz sorrir. Cansada…!

Cansada de dizer “adeus, até para a semana” a quem realmente não sente a minha falta. Farta de não poder colmatar as saudades por meio do avançado telefone que transporta vozes à distância, a quem o merece. Farta de tudo o que era suposto ser diferente. Farta de ser nova demais para sentir isto, velha demais para passar por não ter algo. Farta de olhar em frente e não gostar, olhar para o lado e não ver o que necessito, olhar para trás e desejar não avançar!

Dias marcantes, não saem da memória, dias de descanso solitário e solidário comigo mesma. Dias que nunca se esquecem, dias que nunca deviam ser vividos, dias inúteis, dias impuros e impróprios. Dias assim como este!

Sentimentos ignóbeis, inúteis e insignificantes… supostamente. Mas verdadeiros e verdadeiramente sentidos e vividos. Não desejados e não queridos. Mas alguém não se importou de mos impor e de mos desejar, como se, por qualquer razão ignorada, os merecesse. Como se a vida nos impusesse determinados comportamentos que não desejamos e não implementamos. Injusto? Talvez! Merecido? Quem sabe… pela maior razão que possa existir pela sua existência, não significa que os mereçamos.

And the truth is… alguns fins-de-semana são assim! Acabam e ficamos com a certeza de que apenas valeram a pena pelos bons momentos que passamos com os amigos (amigo, neste caso). E nem o facto de estarmos longe de casa muda a posição de quem, supostamente, nos deveria amar. Assim concluímos, que talvez, nem tudo o que ditam as regras seja verdadeiro. Nem tudo o que é normal é verdadeiro. E por mais magoados que possamos ficar, e garanto que o tamanho da dor é incalculável, nada pode inverter essa posição. Temos apenas de aceitar por mais que nos custe. A verdade é que quando um cão fica mais feliz que certos e determinados humanos pela nossa visita, é porque algo está errado…não será?

Tive um avô que um dia, à minha pergunta “Tu nunca choras?”, me respondeu afirmativamente. Mas replicou qualquer coisa como: “A vida é demasiado pequena para chorarmos duas vezes pela mesma questão. Magoam-te uma vez, choras e esqueces. Quando a dor é demasiado forte para esqueceres, lembra-te que já choraste uma vez por aquele problema… agora se calhar, tens outro. Não tão importante talvez, mas pelo qual ainda não choraste, e se calhar este também merece as tuas lágrimas!”

sexta-feira, 14 de setembro de 2007

Oh my god!

Este é o chamado Haka, o grito de guerra de uma das melhores, se não a melhor, selecções de rugby do mundo! E amanhã vão cantá-lo à Selecção Portuguesa... e fico arrepiada só de pensar no confronto! Iria ter a sua piada se a selecção portuguesa arranjasse uma "resposta" qualquer, mas acho que naquele momento vão pensar noutras coisas...

É óbvio que não acredito na vitória mas se conseguirmos não perder por mais de 100 já fico muito feliz... estes gajos metem-me um medo de morte! Estou mesmo com medo que amanhã alguém se magoe a sério...

P.S.: Uma palavra de ânimo ao Juan Severino, antigo jogador da Académica, que infelizmente, e injustamente, foi afastado do mundial por ter sido suspenso por quatro semanas! Por aquilo que fizeste já mereceste bem o nosso orgulho!

Passagem de deus para diabo?



Quarta-feira entre as nove e as onze da noite decorria o jogo de qualificação para o Europeu do próximo ano, e a minha televisão resolveu pifar cinco minutos depois do intervalo. Como o jogo não estava a ser muito atractivo e Portugal vencia sem dificuldades, não me preocupei muito e não fui para a cozinha ver o resto dos quarenta minutos. Ainda andei com o cabo dum lado para o outro, tentando resolver o mau contacto mas como não fui feliz resolvi desistir e fazer algo melhor: acabar de ler a Visão da última semana!

Depois das onze horas da noite recebo uma mensagem a perguntar se tinha visto o soco do Scolari e não entendi. Corri para a cozinha, liguei a televisão e vi de imediato o que tinha sucedido. Não entendi, os comentadores não explicavam, apenas referiam o nome do Quaresma, mas fiquei confusa pois não vi o jogador na área da acção do soco de Scolari.

Ouvi, li na manhã seguinte as notícias dos jornais e conclui que o melhor era não censurar: só quem está dentro de campo pode criticar e dizer que nunca faria o mesmo. Não concordo com a atitude, não sou a favor da violência mas tenho a certeza de que se fez o que fez, é porque tinha razões suficientemente fortes para o fazer. Melhor do que a dizer isto esteve o Manuel José, um dos possíveis candidatos ao lugar do Scolari em 2008, quando o contrato do "Felipão" com a selecção portuguesa terminar. Vale a pena ler no Jornal de Notícias de hoje: "Os abutres já estão a aparecer".

Não entendo a perspectiva do Pinto da Costa que, segundo rezam alguns meios de comunicação hoje, já telefonou ao Gilberto Madail a pressionar para que o seleccionador português seja despedido. Um selecionador que fez os portugueses sonhar e acreditar em coisas que nunca tinham acontecido. Que fez com que a maioria das casas portuguesas tivessem bandeiras expostas durante o Euro2004, decorrido no nosso país. Que nos fez gritar por Portugal, a plenos pulmões, que nos fez cantar o hino em uníssono com os jogadores, vibrar até não poder mais com vitórias sobre as melhores selecções do mundo como a Inglaterra e a Holanda, andar a apitar pelas ruas durante horas e horas, coisa nunca antes vista. Que nos colocou numa meia final dum Europeu, que nos colocou nos quartos-de-final dum Mundial, que nos colocou entre as melhores equipas do mundo, sobretudo, que nos fez sonhar como nunca o tinhamos feito! Que nos fez acreditar num momento em que até o primeiro-ministro do nosso país se ia embora com o rabinho entre as pernas!

E agora, por uma atitude ele deixa de ser o melhor para passar a ser o "diabo"? Estranho não?

Na entrevista de ontem da RTP pediu desculpa à Federação, aos portugueses e a mais ninguém. Porque não tinha que o fazer... por mim fica! E não o censuro pelo que fez... se o fez é porque tinha alguma razão para isso!!! Gosto dele, parece-me ser mais sincero do que a generalidade dos "idiotas" que andam para aí e gosto disso! Tal como ele sabia que lhe ficava bem pedir desculpa ao jogador sérvio, mas não sentiu que ele merecesse, e não o fez, sem medo de represálias!

E quero ver quem será o primeiro corajoso a atirar a primeira pedra! Deve ser alguém demasiado perfeito para existir...

quarta-feira, 12 de setembro de 2007

Uma petição pela igualdade de direitos


Um grupo de adeptos de rugby, indignados com o facto dos jogos da selecção nacional da modalidade no mundial em França, não serem transmitidos nas televisões públicas, resolveram criar uma petição online para tentar solucionar o problema.

Podemos alterar esta situação ridícula assinando a petição em: http://www.ipetitions.com/petition/todospelorugby/signatures.html.
P.S.: Este blog deixou de ter personalidade própria, apenas se dedica ao rugby, mas em breve as coisas vão mudar. E, de qualquer forma, não vejo que esteja pior por se dedicar única e exclusivamente ao rugby... apenas está diferente!

Haverá maior garra do que esta?

Andei ontem o dia todo à procura deste video e não o encontrei. Agora mesmo, o João Paulo fez o favor de mo passar (Merci :p). E aqui fica para que nunca mais esqueçamos estes minutos mágicos, arrepiantes e delirantes, repletos de lágrimas de felicidade e orgulho!

Hoje à noite será a vez de cantar o hino juntamente com a selecção portuguesa de futebol... porque há tempo para tudo na minha vida: futebol e rugby. Mas duvido que hoje à noite se cante o hino desta forma mágica...e que sinta tanto orgulho como no Domingo quando o ouvi em directo.

Fica uma certeza... quando a selecção de rugby regressar a Portugal irei estar no aeroporto para lhes dar as boas-vindas! Nunca o fiz... mas parece-me uma boa altura para o fazer!

terça-feira, 11 de setembro de 2007

Quando não se conhece... o melhor é estar calado!

Há gente croma em Portugal, e ainda por cima são estes que têm direito a uma coluna de opinião no novo jornal gratuito da Controlinveste...

"Os gloriosos malucos do râguebi nacional
Achei graça ver uma trintena de mastodontes a cantar, de lágrima no olho e voz tonitruante, o hino nacional sem tropeções na letra e um "Ás armas!, Ás armas!" realmente bélico e convicto. Achei graça ver betinhos que estudaram nos Maristas, no Colégio Moderno, nos Salesianos ou no São João de Brito, acharem que o modo de atingir a glória na vida é ir a França levar séries de 80 minutos de tareia grátis.
Achei graça ver o comovente empenhamento com que aqueles latagões se atiraram ao jogo, numa teimosa embrulhada de pisadelas, puxões, placagens, molhadas confusas de braços e pernas, choques titânicos de corpos de 120 quilos lançados em louca correria. Achei graça a isso tudo e sinto simpatia por aqueles cavalheiros mas, francamente, está a fazer-me confusão, depois do Portugal-Escócia em râguebi de domingo, ler por aí crónicas a rodos a colocar os nossos "lobos" ao nível de heróis nacionais... Vamos lá ver: os rapazes empenharam-se mas, afinal, perderam por 46 pontos de diferença, caramba! Isso, no meu tempo, chamava-se uma abada... ou não?"

Pedro Tadeu, Director do 24 Horas

O meu comentário resume-se a: "um soco nas trombas era pouco...." São estas coisas que me envergonham de ter a mesma nacionalidade que esta gente idiota!!

segunda-feira, 10 de setembro de 2007

Um orgulho merecido pelos nossos "lobos"!

Orgulho foi o sentimento que mais me assolou ontem à tarde, ao ver o jogo da selecção portuguesa de rugby com a grande equipa mundial, profissional e muito bem colocada no ranking, Escócia. Ao ver as equipas antes de entrar no campo percebi que a ansiedade, nervosismo e medo do que se pudesse passar dentro de campo, era o que mais andava nas cabeças dos lobos. Contrariamente aos "brutamontes" escoceses, impávidos e serenos, concentrados naquilo para o qual dedicam toda a sua vida.

O hino português foi o primeiro a ser entoado, num misto de alegria e saudades do país distante, algumas lágrimas foram vistas (e vindas de um jogador de 138 kg, torna-se estranho) e imitadas. O orgulho, a sensação de "é a primeira vez que estamos num mundial de rugby, e somos a primeira equipa amadora a consegui-lo". O hino escocês fez-me lembrar William Wallace e recordei a enorme paixão que tenho pelos escoceses, em muito devido ao grande filme protagonizado por Mel Gibson (Braveheart) e pelos kilts (haverá mulher no mundo que não tenha uma tara por um homem de kilt?).

O jogo começou e era visivel a diferença física entre os jogadores de ambas as equipas. Não vou falar de todos os momentos emocionantes ou de aspectos técnicos. Apenas tenho a dizer que por muitas razões fiquei feliz com a derrota. Não pela derrota em sim, mas por ela ter sido apenas por 56-10! Visto a diferença física, a quantidade de treinos, o facto de ser uma equipa amadora e outra profissional, o facto de haver muitos mais atletas na Escócia do que em Portugal. Também pelas mais variadas razões, vos afianço que, pelo que já li nos jornais nacionais e internacionais de hoje, a selecção lusa conseguiu surpreender tudo e todos.

Ainda há coisas que me fazem sentir orgulho de ser portuguesa! E este jogo foi um deles... Sábado espera-nos a Nova Zelândia e acredito que as coisas vão piorar bastante! Se não piorarem... vou rebentar de tanto orgulho!

P.S.: A emoção ao cantarem o hino nacional devia ser uma lição para todos os futubolistas naturalizados portugueses. É que há uns quantos atletas na selecção de rugby naturalizados portugueses há pouco tempo e que sabiam o hino nacional muito bem. E tiveram fôlego suficiente para o cantarem do início ao fim. As lágrimas do Rui Cordeiro souberam bem ver, entender que é um sonho tornado realidade estar no mundial de rugby! Força lobos!!

domingo, 9 de setembro de 2007

Força Lobos!

Pela primeira vez na nossa história a selecção portuguesa de rugby está presente num mundial da modalidade. Com esforço fomos apurados para uma competição que apenas alberga equipas profissionais, com a portuguesa como excepção. O momento é de orgulho, a ansiedade aumenta a cada minuto, e a confiança na equipa é muita. Temos consciência de que ganhar à Escócia é uma miragem, tal como à Nova Zelândia, duas grandes equipas mundiais, mas vamos tentar com todas as nossas forças e isso é que importa.

É um momento de orgulho! Força Lobos!!

P.S.: É com vergonha que me apercebo que a estação pública do meu país quis poupar uns trocos ao não comprar os direitos de transmissão do jogo à SporTV. É assim que o futebol vai ganhando adeptos e as outras modalidades são esquecidas!

segunda-feira, 3 de setembro de 2007

Relembrei tudo... outra vez!

Andava bem, pensando em ti diariamente mas sem mágoas, sabendo viver com as saudades que me assolam a todo o momento quando vejo, oiço, sinto, imagino ou relembro algo relacionado contigo. Até que hoje... lendo o blog de uma amiga, lendo o que ela escreveu, sentindo o que ela sentiu... tudo voltou...!

Maldita sejas Margarida por me relembrares o inevitável mas obrigado pelo belo texto que escreveste em que conseguiste expressar tudo aquilo que eu, e acredito, muitos mais neste mundo, sentem! Também quero chegar aos trinta e poder mandar-te embora do meu pensamento quando quiser... esquecer a tua existência nos momentos mais apropriados! Conseguir olhar para outra pessoa e imaginar que "pode" ser para sempre!... Sonhos!

Vale a pena ler, aqui!

Em desespero...

A minha televisão deixou de funcionar (sabe-se lá porque mas desconfio que seja um mau contacto com o cabo!!) e hoje dá o Dr. House.

Que hei-de eu fazer?? Não vou à meia-noite para a cozinha para me sentar naquelas cadeiras desconfortáveis... humpfff...

Era só para desabafar... talvez alguém tenha uma sugestão... qualquer... que possa dar resultado, não sei!