terça-feira, 18 de agosto de 2009

Little Girl Blue

Só para relembrar uma grande mulher, uma grande voz e não esquecer que Woodstook foi há uns anos atrás, e todos parecem se ter esquecido do lá foi prometido às gerações futuras. Paz e Amor... simplesmente! Será assim tão difícil?

segunda-feira, 17 de agosto de 2009

Uma heroína!

Que bela historieta. Era uma vez uma mulher, viúva há uns meses de um marido apanhado por um cancro fora de horas, que tem quatro filhos. E é teimosa e valente! A casa onde habita não tem condições segundo a Segurança Social, e ela recusa-se a receber o Rendimento Mínimo porque, segundo dita, ainda tem mãos para trabalhar e educar os filhos a quem, garante, nunca faltou nada. Comida, limpeza, e sobretudo, o mais importante, amor. Já arranjou dois empregos em part-time, de limpezas, e pede apenas ajuda para o material que necessita para reconstruir a casa onde habita. Os filhos estão em duas instituições diferentes, irmão separados parece-me ser uma opção a considerar no que diz respeito a um crescimento saudável de uma criança. Nao entendo que raio de Assistentes Sociais existem em Portugal, ou quem decide estas coisas... não dá para acreditar nisto!

Não conheço a senhora, e não sei como a hei-de ajudar porque a notícia não dava muitos pormenores, mas sinto-me orgulhosa por ainda existirem pessoas como ela. Que não cruzam os braços e não vivem a mamar no dinheiro vindo directamente do Estado, e dos nossos impostos. Amanhã tentarei pesquisar mais alguma coisa sobre esta heroína que não tem medo, porque só lhe sinto coragem, em criar quatro filhos sozinha!

sexta-feira, 14 de agosto de 2009

Dia 20 nas bancas

Cada vez conheço ou descubro mais falsos moralistas. Que ficam chocados com algumas conversas, livros, filmes, quadros, entre outras coisas mas que depois são os mais loucos e os que têm histórias bem bizarras dentro de si... ou que já viveram dentro de si! Desde que fui para o Porto, e não falo de há um ano atrás mas sim nos meus primeiros quatro meses a viver junto ao Bolhão e a estagiar no Jornal de Notícias, houve alguém que me ensinou a dizer tudo o que me ia na cabeça. Dependendo do pensamento as coisas deveriam ser ditas de forma mais amistosa, mas ditas! E pensei que não perdia nada em ser verdadeira.

Os meus amigos notam bem a diferença e dizem que "ando louca" mas a verdade é que não, ando simplesmente a dizer o que me vem à cabeça, sem constrangimentos, sobretudo quando estou rodeada de pessoas que conheço há mais de 10 anos. E, estranhamente, já os coloquei "loucos" porque, de vez em quando, lá sai uma boquita mais saída do normal das bocas deles. O resultado final é uma gargalhada total, eu a desculpar-me que não saiu da minha boca, ou então a apimentar ainda mais a coisa, e eles a apontarem para mim como que para me matar por os estar a colocar "loucos", mas no fundo, divertidos. E olhar para as caras chocadas deles dá-me um gozo imenso (sorry... mas dá!!!).

Hoje li que vai sair para as bancas portuguesas um livro que iria chocar a minha mãe e a minha avó (muito não posso pedir), mas estranhamente também irá chocar jovens na faixa dos 20 anos, que no fundo até usam vibradores e sabe-se lá mais o qué, mas que são muito puritanos na rua. Não mostram aquilo que são na realidade, por isso é que às vezes sofremos desilusões e as relações terminam da pior forma, sejam relações de amizade ou de amor. Mas vamos ao livro.

Chama-se "Zonas Húmidas" e não fala de pântanos. Fala das mulheres e dos seus desejos, de como as agradar, masturbação pura e dura e fluídos corporais. Foi lançado na Alemanha, e já vendeu 1,5 milhões de exemplares. Foi escrito por Charlotte Roche, actriz, cantora e apresentadora de televisão do canal musical Viva, e será um bom presente "envenenado" (e com uma dedicatória bem especial) à quantidade enorme de puritanos que conheço, ou que fingem ser. Pelo que consta não é fácil ler o livro porque começa com uma personagem a ir ao hospital com uma infecção e conta pormenores alucinantes, mas pelo que li na crítica também fala em "estranhas culturas de caroços de abacate". E fiquei bastante curiosa em saber o que será isto, e obviamente só por isso, comprarei o livro. Dizem que pode chocar por ter aventuras exploratórias de cada orifício (meu Deus!) do corpo. Mas numa altura em que toda a gente mete peitos de silicone, reduz a gordura nas ancas e noutras partes do corpo, não entendo porque há-de o mundo reagir mal a este tipo de livro. Se cultivam assim tanto o corpo, e o desejam perfeito, convém saber tirar partido dele, não? Como dizia uma amiga no outro dia "se o homem não te souber satisfazer porque não apanhou ainda o jeito, tens simplesmente de o ensinar!" Isso mesmo!

segunda-feira, 10 de agosto de 2009

Planos

Gerês já era. Resultado final: praias do Norte. Água fria, sol quentinho. Yeah!

Missiva só para ti

Hoje soube de uma novidade que me animou. Esta é uma missiva apenas dirigida a uma pessoa e, muito provavelmente, se ela a ler, só ela a irá compreender. Hoje soube que não estás sozinho, que podes estar bem, com alguém que gosta de ti pelo que és e não pelo que ostentas. Hoje soube que podes estar bem, porque essa é uma das muitas preocupações mais prementes. Idiota sentimentalista que sou!

Por mais que alguém ou "alguéns" não gostem do que irão ler, neste momento, só há duas pessoas que me fariam dar o que quer que fosse para que estivessem felizes. Na felicidade pura. A primeira porque amei do fundo do coração, e nunca vou deixar de amar porque há coisas que nunca se esquecem. E a segunda, porque foi a segunda pessoa mais importante no mundo. Por tudo aquilo que me deu, sem imaginar. Continua a doer, a ferida ainda não está sarada, sinto muitas saudades, há coisas que já não têm significado por mais lamechas que isso possa parecer, e sei que a vida não volta para trás. Sei que devo ter feito qualquer coisa muito horrível para merecer isto, sei que um dia tudo será evacuado da minha cabeça, mas também sei que nunca vou deixar de sentir saudades e nunca ninguém ocupará o teu lugar. Como sei que nunca irei amar a primeira da forma como amei, da forma mais pura que alguém possa imaginar. Como num conto de fadas. A ele consigo decifrar pelo olhar se está tudo bem, a ti não e isso entristece-me. Porque quero que estejas muito feliz, com felicidade pura e verdadeira, a viver aquilo a que tens direito. Já há muito tempo que não pensava em ti desta forma, e compreendo agora que as saudades não se esvaneceram nem um pouco e continua a doer muito não poder falar contigo, por pouco que fosse. Não sei o que mais dizer, apenas que fiquei feliz com o que me contaram hoje. E estou a torcer para que corra tudo bem. Que recebas o amor a que tens direito. Quem sabe um dia tudo não volta ao normal...eu sei que não! Mas há tantos momentos em que precisava das tuas palavras, do teu olhar calmante, do teu sorriso, do teu gozo com as minhas doideiras. De tudo... e já chega. Que porcaria de post e de mente estúpida minha, já para não falar dos sentimentos. Bah

sábado, 1 de agosto de 2009

What tha fuck?

Ele era um gajo do grunge puro e duro. Ele é do rock. Que porcaria é esta, Chris Cornell!?
Ontem já a altas horas da noite falaram-me disto, acreditei, mas ainda tive uma leve desconfiança de que não fosse verdade. Eu sou que tua fã, estou estupidamente envergonhada com isto! Pifaste de vez? Literalmente: "Que merda é esta????"