terça-feira, 20 de maio de 2008

A 2 de Janeiro de 2004!

Todos falam do aumento dos combustíveis em Portugal, e da Galp, Bp e Repsol que sobem os preços sem restricções. Mas ninguém se recorda e fala de quem fez uma lei que liberaliza esse acto. E lhes permite um aumento desenfreado dos preços para valores que só a eles interessa, e apenas para ganhar mais uns trocos. Os lucros não podem ser mais fabulosos, sendo das poucas empresas neste país com saldo muito positivo. Ainda alguém se lembra quando a liberalização começou?

Já na época alguns analistas apregoavam que essa nova legislação iria prejudicar os consumidores porque as refinarias iriam aumentar os preços desenfreadamente, sem terem um moderador. E o governo acenava pela negativa, dizendo que a competitividade iria aumentar entre as maiores refinarias do nosso país, os preços iam baixar e os consumidores iriam conseguir poupar uns trocos. Não aconteceu no primeiro mês, e assim consecutivamente ao longo dos anos. Já lá vão 4, e parece que só agora os portugueses acordaram de alguma letargia provocado não-sei-bem-porquê! Só agora se fala, em alguns grupos, de fazer uma greve às bombas da Galp, Repsol e BP, nos três primeiros dias do mês de Junho, esquecendo-se de que será por esta data que os portugueses irão encher o depósito mais afincadamente. Com os bolsos ainda cheios do ordenado recebido há pouco tempo, não querem desperdiçar a fartura para passear e conduzir um veículo que começa a ficar mais vezes parado.

O Presidente da República explicou hoje, ou ontem, de que era normal uma subida dos combustíveis porque também o barril de petróleo estava a subir sem vontade de parar. Esquecendo-se, este apregoado por tantos como um grande economista, de que o barril de petróleo é comprado em dólares, e estando estes a desvalorizar dia-após-dia em relação ao euro, isso não explica a 20ª subida dos combustíveis em cinco meses, que não deve tardar muito. É este homem que elegeram para nos representar lá fora, ou para fazer-não-sei-bem-o-quê, para além das asneiras que não pára de dizer, das visitas diplomáticas a locais onde gozam connosco e com os nossos impostos que acabam por comer (o João Jardim e a Madeira), e ainda das grandes conclusões lógicas que tira sem apontar o caminho para uma possível solução. E supostamente é com estas explicações que nos devemos resignar.

Os partidos da oposição estão mais preocupados com os cigarros fumados por Sócrates num avião da TAP, e outros há que nem sequer querem discutir. Estranho? Não. Não há uma oposição digna de assim ser chamada, e por isso, apenas nos resta esperar alguma coisa do governo. Ou da Divina Previdência. Se é que ela já não está cansada dos nossos lamúrios...

Mas não me querendo desviar do assunto do post. A liberalização do preço dos combustíveis ocorreu a 2 de Janeiro de 2004, ano do Europeu de Futebol no nosso país, e no governo comandado por Durão Barroso. Já agora, podiam pedir-lhe responsabilidades ou uma simples opinião sobre este grande futuro que ele fez questão de nos construir ou querem dar-lhe mais alguma medalha? É que ele já recebeu tantas, e o mais estranho, todas por mérito, que mais uma ou menos uma não ia ser muito diferente!

P.S.: Cheira-me que os aumentos vão aumentar (ainda mais!!) fortemente na altura do Euro, por isso preparem as carteiras. E arranjem uns sofás confortáveis para ver os jogos... em casa!

O povo impediu...

Hoje vi este título na última página do Jornal de Notícias: Povo impediu fecho dos CTT do Soito. Não faço a mais pequena ideia onde fica o Soito (perdoem-me os Soitiences..) e nem as razões que levaram ao desejo de encerrar o posto dos CTT, mas o sujeito e predicado da frase/título fizeram-me parar, olhar, permanecer estática durante uns bons 5 minutos, fechar os olhos e sentir ganas de escrever títulos com os mesmos sujeitos e predicados...! Neste país, e de forma tão urgente!

Só me resta esperar sem desesperar, rezar tentando acreditar, mexer e desejar que os outros façam o mesmo. Pela nossa vida ou sobrevivência! Porque gosto de imensa gente à minha volta e não os quero ver mais tristes, infelizes, a passar dificuldades, a não conseguir sequer sobreviver! E já há tantos que não conseguem. Só queria perguntar ao futuro: até quando?

sábado, 17 de maio de 2008

Um conselho...

Já vos disse que deviam comprar a Visão desta semana e nos próximos dois meses, ou até para sempre? Esta semana, para além de uma reportagem fabulosa sobre prostituição no Brasil (vale mesmo muito a pena!) e uma visita à Venezuela com José Sócrates, ainda oferecem dois fascículos de um roteiro por Portugal, com percursos, melhores locais para passear, namorar, ir com as crianças, estar em comunhão com a natureza. Enfim, é quase que uma enciclopédia de "como passar as melhores férias da minha vida"! Comprem! Vão ver que não se arrependem! Eu já tenho o meu inteirinho, porque enfim, os assinantes tem estas mordomias...!

P.S.: De facto a gasolina/gasóleo estão mais caros, e não há carteira que aguente andar a passear de carro, mas quem disse que não podemos conhecer Portugal de bicicleta, patins, skate, ou até mesmo, e porque não?, a pé!? Há coisas que merecem o esforço, e a saúde, o corpinho e a carteira agradeciam!

Prioridades

Ao que o Público noticiou em primeira mão esta semana, o primeiro-ministro português foi apanhado a fumar num avião fretado à TAP, numa viagem para a Venezuela. Ele e outros membros da sua comitiva. Pelo que pude ler na edição online do diário, Sócrates não foi dos primeiros a puxar de um cigarro, no final do jantar, e já pediu desculpa pelo feito. Não defendendo nem aliviando o peso de, supostamente, ser um dos exemplos para o povo português, penso que o alarido político criado à volta deste caso foi um exagero. Sobretudo no dia em que algo mais grave sucedeu, o gasóleo e a gasolina aumentaram 3 cêntimos. E sobre isto, o alarido é menor ou até mesmo, inexistente.

Nas notícias escritas por todo o universo web, crescem hora após hora, comentários de ataque a José Sócrates, criminalizando o feito, atacando-o por isto e outras milhentas coisas. Os partidos políticos da oposição, como tão bem eles sabem fazer e como o fazem sempre sem pensar, criticaram alto e bom som e chamaram a ASAE, qual polícia política que deve fazer cumprir as leis do país. Aquilo que muitos previram aquando da aplicação da nova lei do tabaco, de que iríamos voltar ao tempo da PIDE, da perseguição e calúnia e denúncia, etc. etc., parece cumprido. Mas da parte dos que o previram e criticaram. Sim, daqueles que acusam e acusaram a ASAE disto e daquilo, agora já fazem denúncias e pedem para que ela actue celeremente.

Concordo plenamente com a nova lei do tabaco e acredito que se houver respeito pelos outros e educação, não será assim tão difícil de se cumprir. E, claro, se se conhecer bem a cidade, aldeia, vila e soubermos quais os recantos "azuis" e "vermelhos" (pela primeira vez na minha história prefiro os azuis ao invés dos vermelhos...). José Sócrates e todos os fumadores da sua comitiva cometeram um erro, já o admitiram, e agora vamos esquecer tudo isto e centrar-nos em algo bem mais importante.

Só queria acrescentar mais um ponto que me parece de suma importância: esta não era a primeira vez que a comitiva de Sócrates fuma num voo fretado, e, pasmem-se os adoradores de Cavaco Silva, nas visitas oficiais do nosso Presidente da República também é habitual fumar-se no avião (não ouvi nenhuma das televisões falar disto, e muito meno os políticos da oposição...). A questão que me surgiu é: não será Cavaco Silva alguém com mais idade e responsabilidades políticas que Sócrates, que possa ser chamado de exemplo para a nação? Não o sigo como exemplo, mas a par das estatísticas ele é o herói deste país... agora, claro, que a curta memória já nos levou os seus belos tempos de governação!

E o gasóleo e gasolina! Ninguém se preocupa? 3 cêntimos no meu tempo eram seis escudos! E era dinheiro, agora já não é? Li há pouco que esta noite voltou a subir na BP, dois cêntimos para um lado e um cêntimo para o outro. É óbvio para mim, que não passa deste fim-de-semana um aumento nas outras gasolineiras! Em menos de uma semana...e ninguém diz ou faz nada. Onde estão os partidos da oposição numa altura como esta? Critiquem! Façam alguma coisa! Ou um dia destes não podemos comer porque os alimentos estão caríssimos, sair de casa com carro será impossível, os transportes públicos estarão demasiado caros para serem utilizados e só nos resta limpar o pó da velha bicicleta! Se calhar a saúde ia agradecer mas...

Ontem à noite, num momento de zapping, passei pelo programa do Malato onde estava a jornalista Felícia Cabrita. Ele tinha acabado de lhe dar muitos, mesmo muitos, um monte enorme, cadernos para ela escrever (é adversa aos computadores, prefere o físico do papel e da caneta ou do lápis...). O monte era mesmo muito grande, mas à pergunta "isto vai dar para quanto tempo? Uma semana, um mês, ou um ano?", ela olhou, analisou e respondeu, "com o estado do país, vou devorar isto num ápice". E o monte era mesmo muito grande...!

quinta-feira, 8 de maio de 2008

Cinzento acidentado..!

Precisamos todos que nos dêem cor à vida. São notícias sobre a escassez de alimentos, o aumento desenfreado dos preços, da gasolina e do gasóleo, a Manuela Ferreira Leite no PSD e o Sócrates no PS. A chuva que não pára de cair, a consciêncialização que não acontece nas camadas jovens e nas mais maduras, o azar que nos aparece em cada esquina e a sorte perdida. E ainda se riem quando digo, "oh my god", é mesmo caso para o dizer.

Num dia cinzento, chuvoso e com prenúncio de pouca alegria, apenas me ocorre que preciso de dar cor à vida. Á minha, sobretudo! E à de todos os outros! E outras me ocorrem, viva a Queima das Fitas de Coimbra, viva a Super Bock, o vinho branco e tinto suficiente mau para ser pior, e as grandes noites ao sabor de tudo isto. Viva a vida porque sem ela nada disto seria possível... o bom e o mau! E já agora, viva o Gabriel que hoje passa por cá! Em Portugal estamos mesmo a precisar de um Gabriel como este do Brasil, a ver vamos se nos contagia! E se um Zeca, Adriano, José, e tantos outros voltam a surgir das cinzas!

terça-feira, 6 de maio de 2008

A eles...

Todos temos pessoas importantes na nossa vida. Uns porque gostamos muito deles, outros porque estamos sempre com eles, outros porque nos conhecem melhor do que nós próprios. Outros há que cumprem na perfeição todos os requisitos, e tornam-se no nosso melhor amparo nos piores momentos. Aqueles que basta um olhar para entender o que nos vai cá dentro... e como isso é importante quando o nosso coração teima em não querer falar.

O álcool, o dia agitado, a noite menos boa fazem-nos não dormir, ocupando a mente com pensamentos proibidos, acordar sem nunca ter adormecido. Chegar a casa com o chilrear dos voadores, o adeus à noite anterior e as boas-vindas da madrugada. Tudo num turbilhão gigantesco do passado, presente e futuro desejado... numa sensação de impotência sem importância para mais ninguém do que nós próprios.

O dia seguinte nasce e o sono não vindo, torna a noite sem efeito. Os pesadelos são vividos nas horas contadas e acordada a ouvir o nascer do dia como se não tivesse existido uma noite. Talvez o melhor fosse não ter existido mesmo! Não guardar qualquer recordação dela, não justificar aquilo que não aconteceu como se o destino tivesse algum poder para mudar o eterno. Aquilo que nos calhou na sorte ao nascer. Ou no azar. Ou em nenhum dos dois.

E alguém descortina o que se passou sem perguntar. Apenas olhando para o olhar, o pensamento, o coração, a cabeça que não adormeceu nessa noite. E imagina que o melhor será falar levemente, o resto virá por acréscimo quando tiver de ser. AS palavras adequadas são ditas e tudo o resto faz significado sem sequer ser discutido. E assim foi e continuará a ser! Porque é bom ter amigos assim, não são muitos mas valem a pena. Valem muito a pena! Sempre! Hoje e para sempre! Obrigado!