No submundo da política


  • Pedro Santana Lopes foi nomeado assessor jurídico da EDP pelo ex-ministro António Mexia, actual presidente executivo da EDP. O vencimento mensal de Santana é de 10.000 Euros (ou 2 mil contos).

  • Galp:
  1. Um quadro superior, admitido em 2002, saiu dois anos mais tarde com uma indemnização de 290,00.00 euros. Tinha entrado pela mão de António Mexia do PSD e saiu para ingressar na Refer, na época em que Mexia era ministro das Obras Públicas e dos Transportes.
  2. O filho de Miguel Horta e Costa entrou para a empresa com apenas 28 anos, e mensalmente recebia 6.600 euros.
  3. Freitas do Amaral foi consultor entre 2003 e 2005, com um vencimento mensal de 6.350 euros, juntamente com gabinete e seguro de vida.
  4. Joaquim Ferreira do Amaral, presidente do Conselho de Administração, recebia 3.000 euros mensais pelas presenças, por não ser um cargo administrativo.
  5. O presidente da Comissão Executiva recebe 30.000 euros mensais, e os vogais 17.500 euros mensais.
  • Em Setembro de 2002, o Juiz-desembargador José Manuel Branquinho de Oliveira Lobo reformou-se, depois de passar por uma junta médica que o considerou incapaz devido a uma doença psiquiátrica. A pensão é de 5.320,00 euros (1.640 contos!). Dois anos depois, o Conselho de Ministros do Governo de Pedro Santana Lopes nomeou este reformado, como Director Nacional da Segurança Pública.

  • António Carrapatoso, figura da Vodafone e dirigente do PSD, tinha uma dívida ao fisco que prescreveu. O montagem ascendia aos 700.000 euros.

  • CTT
  1. Pagaram 19 mil euros a Luiz Felipe Scolari por uma palestra de 45 minutos, durante um Encontro dos Correios de Portugal. A decoração para este evento custou cerca de 430 mil euros, para além dos dois carros de luxo existentes.
  2. A decoração do gabinete do Presidente do Conselho de Administração, bem como a sua sala sala de visitas e refeições custou 430.691 euros.
  3. O presidente Carlos Horta e Costa tinha à sua disposição, entre 2002 e 2005, um Jaguar no valor de 50.758 euros, e um Mercedes de 84 mil euros.
  • Privilégios dos magistrados:
  1. Têm direito a subsídio de renda de casa no valor de 700 euros, mesmo que a casa seja sua. No caso de marido e mulher exercerem esta profissão, o subsídio é o dobro, ou seja, 1.400 euros. O ridículo é a subsistência deste subsídio mesmo depois da reforma, e com isenção de IRS sobre este valor.
  2. Os magistrados do Supremo Tribunal Administrativo, do Supremo Tribunal de Justiça e do Tribunal Constitucional têm ajudas de custo, caso residam fora de Lisboa. A situação é ridícula por eles terem direito a viagens gratuitas de transportes públicos, terrestres e fluviais.

Comentários

A disse…
onde é que tu vais buscar estas coisas? é tão absurdo que sou levado a pensar que estás a mentir... infelizmente não é o caso
Mooncry disse…
Mandaram-me um email ;)
Por acaso não confirmei os factos, mas parece-me que são verdadeiramente reais no nosso Portugal! Era isto que os jornalistas deviam investigar e clamar nos jornais e televisões,e não 5 cadeiras feitas com um apoio ou não!
A disse…
é igualmente mau. são ambos frutos da mesma mentalidade que promove e, de certa forma, louva este comportamento.
Mooncry disse…
sim.. nada é bom nisto! Mas a verdade é que os media apenas investigam e falam sobre aquilo que lhes interessa!
E esse é o ponto que critico...

Mensagens populares