quinta-feira, 14 de fevereiro de 2008

Trancas na porta

O Instituto Nacional de Estatística ditou que a criminalidade aumentou 10%, entre 2000 e 2006. O ministro da Administração Interna não quis comentar os factos, defendendo que não se baseia em estatísticas (baseia-se em quê afinal?). E ditou que um estudo de 5 anos é um parco espaço de tempo para avaliar a criminalidade em Portugal.

Não conhecendo tão bem outra cidade como Coimbra, basta-me um ano para perceber que a criminalidade aumentou, e bem. E nem preciso de estudos ou avaliações, estatísticas ou outras coisas mais. Basta-me abrir um qualquer jornal diário de Coimbra de 2008 e outro de 2007, olhar para os títulos, prestando especial atenção ás notícias sobre roubos e vandalismo, etc. São bancos assaltados numa avenida bem movimentada, roubos a plenas horas do dia numa zona comercial ou mesmo num hipermercado, assaltos a residências qb, carjacking's a dar com pau. Ou basta observar atentamente determinados locais da cidade, seguros há uns tempos atrás, ao contrário do que são hoje.

Razões? Simples: desemprego, falta de dinheiro, necessidade de pagar empréstimos ou quem sabe, dar comida aos filhos. Ou simples criminalidade.

Soluções: onde param os polícias nesta cidade? Onde há emprego?

Ás vezes lembro-me das histórias de um amigo brasileiro e sinto-me a caminhar para um país semelhante. E o mais grave é a ignorância e desprezo, vindos daqueles que têm o poder para inverter a situação. Quando ninguém se preocupa com algo, o futuro torna-se perigoso e incerto.

Trincos nas portas e alarme sempre ligado em casa. Carro trancado e carteira com pouco dinheiro. Portátil em casa bem guardadinho. E cão feroz, sempre connosco! Um dia quem sabe, posso aconselhar uma arma na mala... carregada!

4 comentários:

lightsouls disse...

foto interessante .. lol

Mooncry disse...

lol quem sabe um dia não seja apenas uma montagem!

Anónimo disse...

Concordo com o diagonóstico,não concordo com algumas ideias para a cura.
Teres uma arma carregada em casa não te servirá de nada se fores assaltada. Porás a tua vida e a dos outros em risco.
"Trincos nas portas e alarme sempre ligado em casa. Carro trancado e carteira com pouco dinheiro. Portátil em casa bem guardadinho". Sim, com estas ideias concordo.

SABINE

Mooncry disse...

Também não concordo com o uso de armas, consequentemente não concordo com a posse de uma, dentro ou fora de casa... mas um dia, quem sabe se não será necessário?

Se não pararem com esta onda de violência e se essa for uma das formas de nos defendermos e aos nossos bens... não vou pensar duas vezes!