Aquele mito...


Kurt Cobain deixou uma clínica de desintoxicação em Marina Del Rey na Califórnia no dia 1 de Abril de 1994, tendo sido dado como desaparecido. Foi encontrado morto sete dias depois.
Courtney Love estava em Los Angeles (segundo ela em trabalho, o que muito espantou a sua manager, Rosemary Carroll) e contratou o investigador Tom Grant para encontrar o seu marido. Tom sempre duvidou da tese da polícia de "suicídio", e por isso durante meses investigou o caso, contrapôs provas e factos, entrevistou amigos próximos e familiares de Kurt. Chegou à conclusão que Courtney Love e Michael Dewitt (o empregado que vivia na casa de Seattle) estavam envolvidos numa conspiração que resultou na morte do líder dos Nirvana. Parecia que não era a primeira vez que Courtney atentava contra a vida de Kurt, mas tinha sido a primeira com êxito! Em Dezembro de 1994 Tom começou a falar publicamente do que tinha descoberto, e viu-se alvo de várias ameaças físicas e legais, tal como os órgãos de comunicação social que lhe deram espaço e visibilidade. Mas para Tom Grant, os acontecimentos à volta da morte de Kurt Cobain estavam cheios de contradições, mentiras e inúmeras inconsistências. Eis as razões:
  • Kurt pediu o divórcio a Courtney. Ele queria deixar Seattle e Courtney quando foi encontrado morto, o que muito beneficou Courtney a nível monetário. Courtney, semanas antes da morte de Kurt, pediu aos advogados para transformarem o divórcio no "pior, e mais vicioso processo".
  • Alguém estava a usar o cartão de crédito de Kurt, e apenas pararam quando o corpo foi descoberto na "greenhouse".
  • Cobain temia pela própria vida (por ter abandonado a tour e muita gente ter perdido imenso dinheiro) e por isso comprou uma arma para sua protecção. A arma encontrada foi comprada antes de Kurt ter ido para a clínica e não depois, como foi difundido pelos media. A polícia refere que a arma não possui impressões digitais, mas a verdade é que apenas foi analisada a 6 de Maio, um mês depois do corpo ter sido descoberto.
  • A nota encontrada foi logo apelidada de "nota de suicidio" mas a verdade é que não referia nada acerca de suicídio. Estava claramente dirigida aos fãs, dizendo-lhes que ele queria abandonar o mundo da música. Havia uma pequena nota para Courtney e Frances, mas a letra é nitidamente diferente e foi questionada por muitos peritos.
  • Courtney tinha outra nota em segredo, de que não falou a ninguém excepto numa entrevista à Rolling Stone. Esta segunda nota explicava o teor da outra, e por isso rejeitava totalmente o nome de "nota de suicídio" dada à primeira nota.
  • Cobain injectou-se com três vezes a dose letal de heroina: (1.52 mgs por litro, o que requer uma injecção mínima de 225 mgs de heroina, três vezes a dose letal mesmo para um dependente). A droga Diazepam (princípio activo do Valium)também foi encontrada no sangue de Kurt. As questões que se colocam perante este facto são: Se ele se injectou com três vezes a dose letal, como e porque é que deu um tiro na cabeça, deixando Frances com uma imagem visual horrivel dele? Para além disso, o óbvio da questão: Se ele se injectou com três vezes a dose letal, como conseguiu pegar na arma e matar-se? Não ficaria imediatamente incapacitado? Segundo as investigações, ele nunca conseguiria pegar na arma, e muito menos dispará-la...
  • Cobain não deixou a carta de condução junto ao corpo para ser reconhecido: a polícia encontrou a carteira de Kurt, tirou a carta de condução e pousou-a junto ao corpo, tirando de seguida uma fotografia.
  • Os médicos que lhe fizeram a autópsia não tinham nenhuma prova que se tratasse de um suicidio. No entanto, havia um número consideravel de razões para se tratar de um assassinato, apesar deste nunca ter sido posto em hipótese. Porque?
  • Em Seattle, quando Tom Grant e Dylan Carlson (o melhor amigo de Kurt) procuravam Kurt, Courtney fez questão de dizer a Dylan para procurarem na "greenhouse" (local onde Kurt foi encontrado). Dylan não comentou esta informação com Tom, o que também é muito estranho. Isto dois dias antes de Kurt ser encontrado pelo electricista, ou seja, no dia em que as investigações indicam que Kurt morreu.
  • Dylan disse a Tom sem dúvidas, que Kurt nunca iria cometer um suicidio. No entanto, numa reportagem que um jornalista da BBC tentou (tentou sim, porque não o deixaram) sobre a morte de Kurt, disse muito categórico que Kurt andava muito deprimido e que foi um suicidio, que não tinha dúvidas. Um melhor amigo mente? Ou muda de opinião em dois ou três anos? ... Ou será que eram apenas amigos por causa da heroína? Ou será que foi obrigado a negar naquilo em que acreditava? Mas um melhor amigo faz isso?
  • A mae de Kurt, Wendy, nunca acreditou que fosse suicidio e sempre duvidou porque Dylan não verificou a "greenhouse". No entanto, depois de Courtney lhe ter sussurrado alguma coisa ao ouvido (que Tom não conseguiu ouvir) nunca mais falou com o investigador e nunca mais lhe disse aquilo que inicialmente lhe garantiu ter como informações preciosas. Mas que poder é que esta mulher tem? E que amor tem as pessoas por Kurt, e especialmente por Frances?.. não entendo...
  • Segundo o electricista, o cabelo de Kurt estava muito bem penteado, muito bonito, assemelhava-se a um cabelo arranjado numa cabeleireira. Sim, Kurt Cobain o eterno cantor de cabelo desgrenhado! Ou não.. se foi suicidio... ele como era muito vaidoso... quis estar apresentável para as máquinas fotográficas e antes de disparar, mas depois de se injectar com três vezes a dose letal, penteou-se e arranjou o seu cabelinho... porque o importante era ficar bonito para as câmaras... duh
  • Tom falou com o Sargento Cameron, responsável pelo caso de Cobain, e descobriu que o relatório da polícia indicava exactamente o mesmo que as suas investigações: muitas incongruências e dúvidas; o cartão de crédito desaparecido mas "em actividade"; Courtney ter dito explicitamente a Dylan para verificar a "greenhouse" e ele não ter dito nada a Tom; dúvidas relativamente à letra da nota de suicidio; cabelo de Kurt muito arranjado...

Isto são as teorias do detective Tom Grant, que não teve a força e o poder de Courtney, mas que tentou e deu a conhecer a muitos a verdade (talvez também com algumas incongruências). A morte de Kurt nunca teve grande lógica para mim, mas provavelmente todos no mundo da música (sim, esse mesmo mundo que Kurt queria abandonar e do qual estava farto!) iriam ganhar com a teoria do suicidio, e por isso ela foi avante. Para construir um mito é perfeito um cantor morrer aos 27 anos, ainda por cima de suicidio! ...como Janis Joplin, Jimi Hendrix e Jim Morrison. Parece que é o karma dos míticos líderes de bandas irreverentes... e parece que este karma faz vender e vender discos, e revistas e muita música... Todos ganham... a justiça é que perde ao deixar um assassino, ou mais, andarem à solta, a poder repetir o que já fizeram uma vez. Tenho muitas outras coisas para dizer mas a certeza de que este post está demasiado extenso e que provavelmte poucos o irão ler, deixa-me ficar por aqui. Com a certeza que neste caso a justiça não foi e nunca vai ser feita, para grande tristeza minha. Adivinhem qual é a reportagem dos meus sonhos... ;)

Comentários

Mikael disse…
Belo trabalho de investigação (também não se espera outra coisa de uma jornalista :P). Realmente revolta-me o pouco que se fez para saber ao certo o que aconteceu, pois as evidências são muitas e só não as vê quem não quer, quem tem medo ou quem não pode.
Mooncry disse…
Hey! n ta nd de especial (ate corei) e ainda falta imensa informação que tenho (da net, de revistas, da tv etc), mas nao me queria extender muito mais. Há anos que isto me revolta..e já tive imensas discussões com pessoas que me consideram doida (és das poucas que não me chamou maluca!)mas continuo a acreditar na mesma teoria apesar de ter a completa certeza de que nao posso fazer nada :|
*
Edgar Caetano disse…
lembro-me do dia em que ele morreu, e lembro-me de pensar:
- o cobain tem braços assim tão longos que consiga enfiar uma carabina compridíssima na boca e ainda alcançar o gatilho com os dedos?

bem, lenix, claro que me preocupa que alguém possa ter sido assassinado e que os plausíveis culpados andem na rua na mesma, só que mais ricos.. Acredito que a teoria da conspiração não deve ser descartada, de todo...

Esta malta do showbiz é muito estranha..levam vidas muito diferentes das nossas... E, espero fazer-me entender, às vezes temos a tentação de tomar algumas conclusões parciais, ou seja, em alguns aspectos projectamos neles os nossos valores e modos de pensar, noutros não... Isso leva a uma visão um bocado distorcida do que se poderá ter passado...

É impossível compreender na totalidade a natureza de um casamento daqueles, tal como é difícil estarmos a pensar que a miúda isto ou aquilo...digamos que é a mesma coisa que tentar meter-nos nos sapatos de um familiar de um terrorista-bombista (ou lutador da liberdade, fica ao vosso critério)...

É algo que está demasiado afastado de nós, os nossos juízos de valor estão condenados à falibilidade...

Não sei se me faço entender...ando a ir demasiado às aulas de Filosofia Política...

No entanto, este tipo de coisas acontecem a toda a hora... E, com todo o respeito pq uma vida é uma vida, com pessoas que fizeram coisas até mais valorosas em prol da humanidade... Já ouviste falar do Sergio Vieira de Mello ou outros? revolta-me um pouco que se fale menos da crueldade sofrida por estes do que d'um tipo que fez um dó-ré-mi e escreveu umas musicas..

Claro que os artistas são e serão sempre uns anjos perfeitos na imaginação da sociedade...

Não tenho nada contra artistas, mas acho que a sociedade é demasiado condescendente..eu sei que têm valor...a vida não pode ser só máquinas e trabalho, eles ajudam o mundo a andar prá frente...mas não acho que mereçam mais esta atenção do que pessoas de outros sectores..

Tenho pena do rapaz, não tinha culpa de ser tão fucked-up in the head para andar com uma carabina a foder os patos todos à mãe quando era puto, ou outras coisas que mencionaste....
Mooncry disse…
Acho q nunca falamos dos Nirvana.. falas como se o Kurt Cobain fosse um deus para mim, mas não é! Gosto da música e do que sinto qdo ouço (lembraste... faço só o que sinto). Sei que no mundo da música tdo é estranho e louco.. e ninguém é perfeito (como na política, certo?).. e os casamentos são por "interesse".. mas não devem ser tdos, não é? Ou entao o interesse não deve ser de ambos!.. Há mtas questões, mtas duvidas ainda por satisfazer...
Entendi o que querias dzer.. mas como deves entender, a minha opinião mantem-se. E duvido que a consigas mudar ;)
Relativamente aos outros que tambem morreram mas que já foram esquecidos porque nao sao rock-stars.. tens tda a razao.. esquecemo-nos deles mais rapidamente, apesar de terem feito mais pela humanidade... O sergio Vieira de Mello é um bom exemplo, o Luther King, Aristides Sousa Mendes (aquele que ajudou judeus na II Guerra) etc etc... poucos sabem quem foram e o que fizeram!

(As aulas de Filosofia Politica andam a fazer-te mesmo mal... tens de ficar como eu, sentadinho junto a uma janela aberta... a sonhar com bolos de chocolate e ramos de rosas LOL e a imaginar o prof com nariz de palhaço)

Mensagens populares