quinta-feira, 26 de abril de 2007

Perpetuar o Sonho de Salgueiro Maia

«Ser fiel à memória de Salgueiro Maia é dizer aqui hoje que não se pode desmantelar o Serviço Nacional de Saúde, não se pode abrir a porta a um sistema de saúde privada para ricos e a um sistema público para pobres», disse Manuel Alegre, ontem, durante uma homenagem em Santarém, a Salgueiro Maia.

"Ele que é o símbolo mais puro do 25 de Abril" e o seu «herói mais incómodo» pelo seu «apego à liberdade e desapego do poder». «Quando outros não acreditavam, ele acreditou. Quando outros tinham medo de ousar, ele ousou. Quando outros diziam que era impossível, ele partiu para Santarém, mal equipado e mal armado, mas claro no pensar, claro no sentir e claro no querer».

«A melhor maneira de recordar Salgueiro Maia é não nos deixarmos acomodar, sobretudo na defesa da dimensão ética e social do 25 de Abril. O 25 de Abril não se fez apenas para restaurar as liberdades formais, mas para construir uma democracia em que os direitos políticos sejam inseparáveis dos direitos sociais.»

Pela coragem extrema, pelo amor à liberdade, pelo amor a todos nós... devemos-lhe isso! E como todos os grandes homens, morreu cedo demais...

Sem comentários: