quarta-feira, 6 de setembro de 2006

Pequena história do Valentim


Andei a pesquisar umas coisas sobre esta "personagem" do futebol português e encontrei uns dados demasiado importantes para não os comentar aqui:
  • Com apenas 20 anos, Valentim foi acusado de falsificar a assinatura de um colega na Escola do Exército para poder fazer compras na loja da Escola. É expulso de imediato.
  • Em 1965, tinha 27 anos e comandava o Depósito de Víveres em Angola, quando adjudica o fornecimento de batatas a um comerciante pelo preço de 4$, quando na verdade o preço era de 3$50. Desses 50 centavos (há tanto tempo que não dizia ou escrevia esta palavra... saudades?), ele ficava com 35 e outro oficial com os os outros 15. Na altura Valentim era capitão e usurpou assim o equivalente a 15 mil contos actualmente. É expulso do Exército e reintegrado e promovido a major em 1980. É de imediato colocado na reserva.
  • Em 1973 foi multado pelo Banco de Portugal por emprestar aos clientes das suas lojas de electrodomésticos dinheiro para jogar na Bolsa.
  • No ano da Revolução de Abril, era um dos financiadores do Movimento de Libertação de Portugal (MDLP), e aproveitava-se disso para "fazer negócio" (por isso é que eu digo que ele não faz nada sem um propósito esclarecido). Ao que parece ficou com o dinheiro de um livro que ia ser editado pela Igreja de Braga e terá estado profundamente envolvido na morte de Ferreira Torres. Obviamente que sempre negou tudo isto.
  • Em 1980 foi condenado no Tribunal de Pombal a uma pena de prisão por injúrias a um soldado da GNR. Esta pena foi depois miraculosamente substituída por uma multa. Quinze anos mais tarde voltou a ter problemas com a polícia por ter chamado "analfabeto" a um elemento da polícia presente num jogo do Boavista, apenas por este não ter reconhecido Valentim. E há uns dias li uma nótícia em que a história se repetiu ao intimidar um fiscal da GNR que lhe passava uma multa por excesso de velocidade. "Segunda-feira já não vai ter emprego", terá sido a ameaça que deu origem a um desejo do fiscal de fazer queixa contra Valentim, mas mudou de ideias depois de ter entrado no posto policial...
  • Em 2002, Valentim volta novamente a ter problemas com a polícia, mas desta vez devido à sua mulher. Um polícia proecedeu à identificação desta, por ela ter estacionado o automóvel em cima do passeio e no enfiamento de uma passadeira. Valentim recusou identificar-se perante o agente da autoridade, apenas porque: "Ele conhecia-me. Naquela esquadra todos conhecem e sabem onde moro. Ele até me tratou por senhor major - sabe quem sou".

Preciso de dizer mais alguma coisa?...

3 comentários:

A disse...
Este comentário foi removido por um administrador do blogue.
A disse...

isto é melhor ainda que o post anterior! :D

--portugal empatou

Mooncry disse...

Quando vi isto na net só pensei: "E esta hem!?"
A saída do Figo já está a dar os seus efeitos! Mas vá admito que desta vez o Deco não jogou assim tão mal... mas ainda tem de correr mt para chegar aos pés do nosso melhor jogador da selecção (para mim claroo!)