quarta-feira, 2 de agosto de 2006

Cuba: novo Iraque?

Fidel Castro confiou o Governo interino de Cuba ao seu irmão, Raúl, devido a um grave problema de saúde. A menos de duas semanas de celebrar 80 anos (no dia 13 de Agosto), e depois de ter dito de forma irónica que não pensava estar no poder até aos 100 anos, Fidel toma esta decisão única em 47 anos de ditadura comunista.

A oposição cubana no exílio saiu para as ruas para festejar aquilo que acreditam ser o princípio do fim da ditadura castrista, enquanto que em Havana o clima é de tensa expectativa. A questão pertinente que se coloca é: estarão os cubanos preparados para viver sem aquele que foi o único líder que alguma vez conheceram?

A mesma questão também se colocava antes da ofensiva americana contra o Iraque e vejam no que se transformou o país. Agora a questão é outra: quando vão acabar as mortes? Quando é que o país vai voltar ao que era?

Pode-se tratar de uma psicologia barata mas parece-me que um país que viveu durante muitos anos uma ditadura, não vai conseguir facilmente entrar numa democracia. E muito menos impelidos por um país estrangeiro, que lhes invade o espaço. (E sim, isso ainda não aconteceu em Cuba, mas vamos esperar a ver se não acontece...) E não falem de Portugal e da ditadura salazarista, porque a nossa ditadura foi muito pacífica quando comparada com a de Saddam e de Fidel.

Obviamente que há países que conseguem ultrapassar melhor esta passagem, mas para que isso aconteça é necessário que estejam preparados para a democracia, com todas as suas liberdades e responsabilidades. Parece-me que isso não acontece em Cuba... Não vou ser mazinha e desejar a morte de Fidel Castro, apenas porque ele é ditador. Quantos se dizem democratas e defensores da liberdade e no fundo são uns autênticos ditadores, responsáveis por milhares e milhares de mortes? Quantos estão verdadeiramente camuflados por aquilo que na realidade não representam? Mas infelizmente apenas conseguimos acusar quem na realidade demonstra o que faz e o que pensa, e não tem poder suficiente para esconder a verdade dos seus actos.

Fidel Castro é o inimigo de estimação dos EUA que já "sobreviveu" a nove presidentes norte-americanos. A sua longa barba grisalha e o seu uniforme são universalmente reconhecidos e consegue discursar durante mais de 10 horas seguidas. Anda sempre rodeado de seguranças, ninguém sabe ao certo onde vive e muda frequentemente o local onde dorme. Foi casado duas vezes e tem sete filhos: uma da primeira esposa, 5 da segunda e outro de uma amante.

Há pormenores engraçados sobre a sua vida. Por exemplo, em 2001 enquanto proferia um discurso, desmaiou. Foi logo levado de ambulância onde recuperou os sentidos e pediu para ser imediatamente levado de volta ao palanque onde justificou o desmaio como causa do intenso calor e cansaço. Uma semana depois deste desmaio, foi ele quem liderou uma manifestação antiamericana de 40 mil pessoas.

E
Matt






1 comentário:

Mooncry disse...

Dizendo o mesmo mas com menos palavras e de uma forma menos confusa, vejam isto: http://ponteeuropa.blogspot.com/