quarta-feira, 20 de novembro de 2013

Numa calçada qualquer




Só nos sentiremos sós quando nos esquecermo-nos de nós próprios. E isso acontece amiúde.
Estes, abaixo, nunca nos deixam sós mas nós deixamo-los imensas vezes. Demasiadas.

Mundo egoísta. Não sonhado e menos desejado.
E se as lágrimas não surgirem é porque felizmente estão destinados a este mundo. Continuo em busca do meu, lamento.



Sem comentários: