sábado, 23 de agosto de 2008

Será desta?

Quando Manuela Ferreira Leite foi eleita líder do PSD pensei que aquele partido tinha perdido completamente o juízo. Ou aquele que lhe restava! Não entendia como desperdiçavam um promissor Passos Coelho e escolhiam alguém que não deixou saudades dos tempos em que foi ministra das Finanças e acrescentou ao nosso dicionário a palavra "défice". Alguém com grande experiência política mas que não promete acrescentar nada. E num momento em que a credibilidade dos políticos decresce a toda a hora é necessário alguém que nos faça sonhar, que nos leve a acreditar nas suas palavras e promessas.

Racionalmente pensei e lembrei-me daquilo que estudei aquando do meu trabalho final de curso, o marketing político e todas as diferentes manobras políticas. E pensei que a eleição dela apenas podia ser uma manobra de distracção, como se quisessem provar que ela já não presta e que há alguém mesmo melhor, e também para dar tempo a alguém para se preparar para uma tarefa tão árdua como ser líder de um partido com o estado do PSD. Quando o partido estiver prestes a ser enterrado aparece o Salvador e, se conseguirem passar isso para a comunicação social, esse salvador será apresentado como sendo do partido e do país. Aquele que melhor pode orientar um governo que nos tire do défice e deste pessimismo crescente, desta incansável forma de não nos contentarmos com o que temos.

Ora, o tempo de despedida da Manuela Ferreira Leite está próximo parece-me a mim. A imagem dela está péssima, não a ouvimos, não a vemos a participar nas "reuniões" habituais de Verão do partido que dizem que lidera. Está a assumir a atitude que nos prometeu, não andar em feiras ou permanentemente na baila das notícias. Mas a chamada dama de ferro esqueceu-se de algo importante: só dando nas vistas, aparecendo na televisão nas feiras ou comícios é que pode ganhar uns votos do povo e dos seus militantes sociais-democratas. Aparecendo a felicitar os atletas olímpicos por exemplo, ou a comentar as mais recentes ondas de assalto e a falta de segurança. Afinal para que serve um partido de oposição em Portugal do que não seja criticar o Governo sem apresentar soluções?

Faça um favor a todos nós que gostamos de quezílias políticas e demita-se! Deixe o Passos Coelho seguir em frente, com toda a sua juventude e vontade de vencer! Queremos acção!!

P.S.: Vale bem a pena ler a excelente entrevista de Passos Coelho ao Jornal Expresso, comprando o semanário ou simplesmente lendo aqui. O antigo líder do PSD, Luís Filipe Menezes, também não anda a gostar da atitude da sua sucessora e escreveu um artigo de opinião para o Jornal de Notícias que pode ser lido aqui.

Sem comentários: