quinta-feira, 1 de novembro de 2007

Can we ask friend to like us!?

Nos últimos tempos há dois conceitos que têm preenchido muitas das minhas conversas de café. Por duas razões: pelo que se passa na minha própria realidade e pelas histórias que ouço. Ás vezes chegava à conclusão de que as pessoas nos dias de hoje já não gostavam umas das outras simplesmente mas porque lhes convinha e outras vezes não chegava a nenhuma conclusão! Falo dos conceitos de "amigos" e "conhecidos"...

Sempre fiz a distinção: num patamar estão os amigos e no outro, mais abaixo, os conhecidos. As relações não diferem muito mas o sentimento é bastante díspar. Já tive algumas desilusões por levar as pessoas demasiado a sério mas nunca me desiludi a mim mesma, até há pouco tempo. Acontece que uma das poucas pessoas em quem ainda confiava conseguiu estragar-me a noite do último Sábado. Directa e indirectamente! Basicamente tinha estado a ouvir da mesma pessoa, na manhã desse dia, que havia alguém que quase não falava com ele porque tinha arranjado novos amigos. Ora nessa noite ele conseguiu fazer-me sentir da mesma forma... ignorada!

E custou-me sobretudo porque neste momento os problemas abundam e não preciso de mais nenhum. E custou-me esperar para que ele me dissesse alguma coisa para lhe mostrar o meu desagrado. Com a "boa disposição" que lhe é característica não compreendeu, porque estar do outro lado é sempre bem mais simples, apontar o dedo, e achou que estava a ter uma atitude estúpida. Pois muito bem... talvez esteja! Devo ser a única pessoa a reclamar de falta de atenção dos amigos, do facto de ter passado uma noite com desconhecidos em que a única pessoa que conhecia me dirigiu a palavra uma vez ou duas vezes contando com a despedida.

Então decidi mudar de táctica e agir como uma "falsa", cognome dado por mim a espécimes egoístas e sem coração! Visto que todos têm as suas amizades por conveniência eu também vou ter... é só uma questão de arranjar uma característica de cada pessoa que me possa favorecer. E se não tiver, paciência, posso sempre usá-la para sair quando não tiver companhia! Não é o que muitos fazem? Desta forma irei gostar de toda a gente e irei ter muitos e variados amigos, ou pelo menos irei pensar que tenho! Se a minha consciência não me falhar...!

Em relação ao amor, amizade, ou a porcaria do sentimento que nutrimos pelas pessoas que na hierarquia seguem logo atrás da nossa família, que se lixe. São sentimentos esquecidos e deixados, não sendo justos se não forem retribuídos. Não é justo ser descartada à miníma possibilidade, não é justo fazerem-nos sentir desprezadas sobretudo quando nunca os fizemos sentir assim! Simplesmente não é justo... há uns dias ouvia um dizer que andava sem tempo para um cafezito porque tinha arranjado uma nova namorada e todo o tempo livre era para ela! Ainda bem que foi sincero mas apetece-me dizer-lhe que emigrei para a Lua caso aquilo dê para o torto até porque já sei a quem ele vai telefonar em primeiro lugar! Mas alguém tem paciência para isto tudo? Eu não... não, neste momento!

Para ir para os copos, para o aniversário, para uma viagem, para as férias, estão sempre TODOS disponíveis. O problema é para o resto... e o "resto" também existe e esse é o momento da verdade. Não vou ser feliz nesta decisão porque prezo a sinceridade mas acho injusto tudo o que está a acontecer e por mais que me custe vou ter de ser mais racional. Não só com o amor mas também com os amigos, aliás, sobretudo com os amigos... conhecidos ou desconhecidos! E não vai ser nada fácil mas espero não ter qualquer recaída... ser o mais racional possível, e egoísta!!, é o que está a dar! O resto que se lixe

P.S.: Pode parecer que foi tudo escrito numa de gozo mas não! E no último fim-de-semana senti-me mesmo a chegar ao fundo do poço sem que poucos se tivessem apercebido. Mas isso deu-me força e tenho a certeza que tudo isto tem um objectivo: chegar ao fundo para começar do zero. Começar tudo de novo! Em todos os planos...

Ah!, e quando for para festejar chego-me bem a mim própria. Ou então com as duas únicas pessoas que ainda não me desiludiram (estranhamente têm o mesmo nome! Se não houvesse um péssimo ex-namorado com nome semelhante diria que era o nome da minha vida). Quem não está agora não pode estar quando o sol brilhar mais intensamente...! Porque vai brilhar!

7 comentários:

eXcer disse...

E há-de brilhar-te! ***

Mooncry disse...

Sim, suponho que há-de! Mas só se fores o meu fotografo!! eheheh

(hoje é um dos dias em que acho que não e desconfio que durante o resto da semana não hei-de mudar de ideias :p )

Thanks ;) bjinhos ***

eXcer disse...

Então, já mudaste de ideias? :P Espero bem que sim! ;)

Qt a ser o teu fotógrafo, quem sabe um dia... :D Mas primeiro tenho de te oferecer uns óculos escuros por causa do sol que vai brilhar-te intensamente! ;)

Mooncry disse...

Lol oferece oferece... eu até gosto de prendas! :p

Mudança de ideias...não :| dont worry.. sao apenas coisas de mulher ;)

* xuack

eXcer disse...

Se isto fosse o dA, colocava apenas :hug:, mas como não é, deixo um abraço "por extenso e em português"! ;)

Anónimo disse...

Lenita, lia aqui há tempos na Regra de Quatro que estamos destinados a divergir, e que o tempo é a unidade de medida dessa separação, já que explodimos de um todo original há muito muito tempo. Logo, há uma ciência para a solidão, estamos sós em proporção aos nossos anos. Isto soa meio mau, mas acredito que não é, tornamo-nos melhores e mais autosuficientes, e acima de tudo aprendemos a dar valor ao que fazemos por nós. Isso também não quer dizer que os outros não gostem de nós ou não nos deem valor, às vezes é uma mistura de muitas coisas. Agora por exemplo, à falta de vida pessoal e social graças aos trabalhos, não tenho estado atenta a ninguém, e também não é por mal.
Espero que as coisas estejam a correr melhor por Lisboa, sabes que te desejo sempre the very best *

[e aquele café adiado D:]

Tânia

Mooncry disse...

É uma teoria no meio de muitas outras..faz sentido mas não acredito que seja a solução!
Acredito na auto-suficiência até porque se não acreditasse não tinha vindo sozinha para Lisboa, sem telefonar de meia em meia hora a alguém para me fazer "companhia". Acredito que estando sozinhos nos fortalecemos e ficamos a conhecermo-nos melhor mas não acredito que as pessoas que gostam de nós não nos animem nos maus momentos... nisso não acredito e não posso acreditar!
Talvez ainda tenha de amadurecer para entender que esse é o curso normal da vida ou entender que apenas podemos "contar com a nossa família" (quando podemos...) ou que "estamos cá sozinhos e por isso temos de nos desenrascar sozinhos".

Se bem te lembras chateamo-nos ha uns tempos atrás por algo semelhante... não levo as coisas tão a peito! Não me vou chatear com ninguém, nem com quem não quis falar comigo num dos piores dias da minha vida, nem com quem me disse que anda muito ocupado com a namorada que nem sequer estuda na mesma cidade, com quem se esqueceu de mim numa noite (mas depois pediu desculpas e admitiu o erro). Quem me conhece sabe que me chateio durante umas horas, um dia mas depois tudo passa e fica exactamente na mesma. Mas magoou-me e isso não posso fingir que não aconteceu!

Já esqueci, e apenas vou relembrar os momentos bons... sobretudo um telefonema, uma ajuda não pedida mas dada com sinceridade que me fez brotar de novo a esperança! Isso vou relembrar para sempre e sempre, e agradecer o sorriso que voltou a nascer para o resto da minha vida.

É a vida e estamos sempre a aprender com ela! Hoje posso dizer que me sinto bem sozinha, quando vou ao cinema, tomar café a noite... em Lisboa! Passear e apreciar Coimbra... sozinha! Já não tenho medo de estar sozinha, até gosto de ouvir o silêncio. E sinto-me muito mais forte por tudo o que se passou e por mesmo assim não ter entrado em paranoia ou depressão, como muitos! É assim que crescemos e nos tornamos mais fortes... hoje sinto-me diferente de há um mes atras (e estranhamente faz hoje um mês que tudo começou).

O engraçado, e isso também poderia originar um post, é que tudo caiu ao mesmo tempo... os meus caes ficaram doentes na mesma altura(os dois simultaneamente e eu aqui, longe deles)e outros problemas subjacentes, incluindo os amigos e aqui não incluo os que estão em Coimbra... os de Lisboa foram as verdadeiras desilusões! Agora um cão melhorou e o resto... logo se ve!

Aprendi a viver um dia de cada vez... amanha sei o que vou fazer... na 4a não faço a minima ideia! Vivo em verdadeira "carpe diem" e isso ensina-nos mtas coisas!

P.S.: O café é quando quiseres... fiquei à espera que marcasses! Vou sempre a Coimbra... é só escolher um dia e marcar! Também com o Rookie porque cheira-me que as nuvens negras não andam só para o meu lado...

P.S.1: Sem deitar foguetes estou com esperanças de que algo mude... pode ser que esta semana traga novidades... BOAS! Pelo menos já fiz figura de tansa e andei a sorrir num centro comercial para desconhecidos depois de dois belos telefonemas ;)

Obrigado pela força! Bjinhos