terça-feira, 13 de março de 2007

Alterada a lei sobre zonas ardidas

Existe uma lei que proíbe a construção, durante dez anos, em áreas florestais ardidas. Ontem foi modificada, a favor de interesses públicos.

A nova lei mantém a proibição de construção em áreas ardidas nos dez anos a seguir, mas engloba duas excepções: a construção de obras públicas ou empreendimentos com grande interesse geral, em qualquer ano a seguir ao incêndio.

E como para tudo existe uma justificação, a lei apenas foi alterada para permitir a construção na Chamusca, de dois novos centros de tratamento de lixo perigoso. O projecto já existia desde Outubro mas esteve parado devido a esta lei que não permitia, até hoje, excepções.

Com os problemas ambientais a que o nosso planeta está consignado, penso que o ideal seria limpar a zona ardida e plantar árvores, muitas mais do que as que existiam antes. Mas fazer excepções numa lei, que a meu ver, estava óptima, em nome do serviço público e de interesses de nível nacional, não me parece acertado.

Pode ser de mim... mas aqui bem perto, na Figueira da Foz, mais propriamente na Serra da Boa Viagem, ocorreu um grande incêndio há 10/15 (ou mais) anos atrás. E desde aí que as casas têm crescido pela encosta da Serra, em muito ajudadas por esse incêndio! Nem sei se esperaram os dez anos previstos na lei antiga! Agora com esta nova lei será muito mais fácil, porque basta defender que o turismo vai ajudar a região e para o desenvolver será necessário construir resorts de luxo numa qualquer área... "pode ser naquela que está tão feia por ter sofrido um incêndio há uns tempos atrás!"

E o Verão e o calor veem aí... e mais uma enxurrada de incêndios virão, sem soluções! Oh yeah!

Sem comentários: