sábado, 10 de fevereiro de 2007

Cusca, eu!?

Sou cusca, é um facto! Não sei se é um defeito muito grande ou apenas uma característica, mas a verdade é que sou e cada vez mais.

Não sou curiosa em relação a tudo. Gosto sobretudo de histórias, de vidas, de pormenores que me façam pensar e indagar sobre outros pormenores, de lutos e nascimentos, amores e desamores. Gosto de histórias de vida, porque cada um de nós tem uma tão engraçada que daria um livro! E que livros que não iam aparecer, tenho a certeza!

Quando estava no Porto, fui um dia à noite ao Dolce Vita lá do sítio, com uma colega. Entre muitas entradas e saídas de lojas, entramos numa em que a empregada estava ao telemóvel a contar a alguém a sua história com o ex-namorado. A loja estava imersa num silêncio aterrador, apenas se ouvia a voz dela, e a minha colega sentiu-se mal por estar a ouvir conversas alheiras e quis ir-se embora! Eu não... fiquei sossegada no meu canto, a ouvir a moça a contar a história, até que me cansei de estar ali sozinha e acabei por sair. Claro que não ia fazer daquilo uma reportagem jornalística, mas queria ouvir por curiosidade. Simples curiosidade, por ser uma história e a protagonista estava mesmo a iniciá-la! Para além disso, se ela não quisesse tornar pública a sua história, não estava a falar escondida, sem saber se entravam ou não pessoas e a falar alto. À porta da loja já se ouvia o que ela estava a dizer!

Mas a Margarida quis sair, achou que eu era "doente" e não parou de se rir durante um bom bocado... digamos que a minha imagem não foi a mais famosa: de telemóvel na mão a falar com a Margarida, quando me apercebo da conversa por detrás da parede, calei-me, pousei o telemóvel e coloquei-me perto da parede onde estava a empregada, para assim ouvir bem... sem mexer uma pestana para não ser "reparada"!

Sou cusca e então? Sei imensas histórias de toda a gente, contadas pelos próprios e por outros, e ouço tudo e fixo tudo, até os mais recônditos pormenores. Gosto de contar e de ouvir, imaginar o que realmente aconteceu, justificar as atitudes e imaginar os porquês. A cusquice não significa que vá espalhar as histórias (e sei de algumas bem engraçadas!), ou as vá comentar, ou vá fazer outra coisa qualquer com elas. Simplesmente gosto de ouvir, imaginar, e descobrir mais sobre as pessoas... tanto as que estão perto de mim como as que estão mais longe.

E quando são histórias de amor, de paixões e desamores o frenesim em saber o que realmente aconteceu é maior. Porque gosto de saber quem amou quem, porque, onde e como terminou. A verdade é que quando conheço alguém, e no aumento de amizade ela me conta algo sobre um namorado ou ex-namorado, a pergunta obrigatória é sempre: como o conheceste? É tão engraçado saber que foi no café X ou Y, apresentado por Y ou Z, ou num encontro casual na rua em que A esbarrou com B. Ou que simplesmente eram amigos há imenso tempo e que num determinado dia, a faísca aconteceu! Tem tanta piada e sei tantas histórias de amor, outras que não são propriamente amor mas desejavam ser... tudo com um propósito, conhecer melhor os humanos. Não somos assim tão diferentes!

P.S.: Enquanto estava a escrever isto, um amigo estava a queixar-se que eu fazia demasiadas perguntas e que a conversa que estavamos a ter parecia mais um interrogatório da PIDE. As minhas desculpas, não só a ele mas a todos os outros. Sei que tenho andado demasiado cusca e que nem todos têm paciência para tanta curiosidade... suponho que um dia consiga controlar este meu desejo de saber tudo. Até lá aturem-me, ou não... podem sempre responder com um grande silêncio! A melhor resposta de todas!

10 comentários:

excer disse...

Como eu entendo perfeitamente esse teu amigo que se queixava... Deve ser um sábio, para dizer tais palavras cheias de sabedoria! :P

Mooncry disse...

Ehehe... Quem te ouvir vai pensar que a minha cusquice é mesmo insuportável!
**

eXcer disse...

Hmmm... mas é a verdade nua e crua... muhahahahahahahaha!!!!!!

Ok... não é bem verdade, mas que tinhas algum jeito para agente de interrogatório, ai isso tinhas! :D

Mooncry disse...

Pois fica sabendo q és a primeira pessoa que se queixa,e se recusa a responder às perguntas!

eXcer disse...

Estou a ver que sou a excepção à regra, então! :P

Mooncry disse...

Pois éé, excepçãozinha mesmo! Vou tentar conter-me, mas qdo a curiosidade apertar lá vou eu ter de perguntar ;)
**

eXcer disse...

Nada te proíbe de perguntar, do mesmo modo que nada me obriga a responder! ;)

**

Mooncry disse...

Esta-me a apetecer experimentar não te fazer nenhuma pergunta durante uma conversa(seja ela qual for) e depois vais ver o resultado!
Um tédio insuportável... para a semana experimentamos!! Prometidissimo!!! :D (eh eh eh... vai ser tão divertido)

eXcer disse...

Há perguntas e Perguntas... :P
Será q tu consegues conversar sem fazer Perguntas (repara no "P"!)?

**

Mooncry disse...

Qual é a diferença?