segunda-feira, 27 de novembro de 2006

Quero respostas!

Segundo estimativas das Nações Unidas morrem em média 100 civis diariamente no Iraque. Bagdad está em estado de alerta há quatro dias e só este mês já morreram mais de 3700 pessoas, o que transforma Novembro no mês mais sangrento desde a invasão norte-americana em Março de 2003. Quantos morriam diariamente no tempo de Saddam Hussein?

Relativamente aos soldados americanos já se registaram 2876 mortes em território iraquiano, segundo uma contagem da AFP com base em números do Pentágono. Quem tem responsabilidade nestas mortes? E nas mortes dos iraquianos civis, que não tiveram coragem para abandonar o seu país de sempre, aquando ele foi invadido por um país sem vontade de mudar o que realmente interessava?

E agora deveria questionar-se os líderes dos países que ignoraram e desprezaram as vontades das Nações Unidas e o direito internacional. Sem esquecer a quantidade de mentiras que inventaram para justificar a invasão de um país, em nome de armas de destruição maciça, que afinal não existiam. Como tão bem eles sabiam! E um julgamente justo pelo Tribunal Internacional? Para quando essa realidade?... Nunca!?

Por isso defendo que não é só Saddam Hussein que deveria ser condenado (como já foi...por um tribunal que não tem nada de imparcial!). Ele é apenas a ponta do iceberg, que é enorme e longíssima. Haverá justiça no mundo com coragem para fazer frente a líderes tão emblemáticos?

Estas mortes no Iraque são facilmente justificáveis pelas enormes divergências que existem entre os dois povos maioritários que habitam o país: sunitas e xiitas. E ninguém consegue pôr cobro a estas rivalidades desde sempre existentes, mas por uns anos abafadas por um ditador que protegia uns e atacava outros. Quem tem culpa destes ânimos tão exaltados?

Alguém tem coragem para arranjar uma solução?

Sem comentários: