O canto silencioso


Conseguem imaginar o que é acordar com o som de gaivotas?... Pensei que estava a sonhar mas ao olhar pela janela percebi que os meus olhos já estavam realmente abertos! Estive três dias no Porto, um pouco para me habituar a viver sozinha, mas também para conhecer a cidade. Entretanto acabei por falar com o meu orientador de estágio, que continua a surpreender-me pela solidariedade, boa vontade, simpatia, e mais uns quantos adjectivos (já viram o artigo dele na Visão desta semana?... Fenomenal!!). Foram três dias com bons e maus sentimentos, bons e maus pensamentos... o tempo que passei sozinha fez-me pensar, e na nossa vida há coisas que não devem ser pensadas, repensadas e relembradas! Simplesmente porque não vale a pena, não nos leva a lado nenhum e apenas nos magoa.

Não me vou armar em "forte" e dizer que não me senti sozinha, sobretudo á noite, e que não senti (já) saudades... mesmo daquilo que não estava perto de mim em Coimbra. Há de facto pessoas que são logo relembradas quando nos sentimos mais desamparadas... vá lá alguém saber porquê! E não estou a falar de amigos, sobretudo dois que estiveram sempre a par do que me ia acontecendo e sempre me apoiaram (Obrigado!!!)... estou a falar de pessoas que não são amigos devido à distância mas que desejavamos que fossem mais. E não vamos ser arrogantes, todos nós quando vamos viver para sitios diferentes, seja dentro do país ou fora, sentimos saudades e temos momentos de pesar e desejo de voltar às origens, de voltar a algum tipo de passado mais longínquo. Quero sair de Coimbra porque estou mesmo a precisar, e porque é o curso normal da vida... mas é um processo moroso e que nos fragiliza!

Ontem às 5 horas da manhã ao contemplar a chuva junto à janela pensei na quantidade de pessoas que estavam à minha volta, com vidas diferentes, com histórias diferentes para contar e compartilhar com os outros, e de repente senti-me acompanhada e o sono finalmente chegou. O silêncio consegue ser mordaz quando o quer, ou quando nós deixamos!

Mas voltando à realidade pura e crua, ainda não tenho data marcada para iniciar o estágio. Eu e a Carina andamos em reboliço, a falar com os professores, com directores de estágio etc. etc., a telefonar vezes sem conta para o JN, mas parece que o nosso processo "está na prateleira". Entretanto o Miguel explicou-me ontem o que "pode" estar a acontecer... apesar de não poder dizer por este ser um espaço demasiado público, apenas posso afiançar que se trata apenas de desorganização! E espero sinceramente que para a semana me digam alguma coisa... todas as desorganizações tem limites!!

Nestes três dias a passear pela Invicta descobri que afinal o meu pai tinha razão: a cidade é fácil de conhecer se tivermos como ponto de referência os Clérigos (Já descobri três formas de chegar do jornal a casa e de casa para o jornal)! O mercado do Bolhão foi uma desilusão... até máquina levei para tirar fotografias mas afinal aquilo está a cair aos pedaços e não é bonito! Que desilusão... mas lá comprei umas coisas no meio de berros vindos de todos os lados!

E cá estou eu de volta... sei lá até quando... bah!

Comentários

Edgar Caetano disse…
Só fui uma vez ao Bolhão...

Quando lá fui, pela primeira vez (e única, neste caso) nunca tinha lá ido antes...

E, curiosamente, desde essa vez em que lá fui, nunca mais voltei a ir lá.

O que, bem vistas as coisas, até se percebe... Afinal, só lá fui uma vez... até agora...

Ou seja, do total de 1 (uma) vez que lá fui, 100% dessas vezes situam-se num momento cronológico algures entre o momento em que nasci e o momento presente (isso inclui os 6 segundos que já passaram desde que chamei "presente" a algo que já é 11 segundos "passado", aliás, 15...

Em suma, nunca fui ao Bolhão antes de nascer, talvez lá vá no futuro, isso ainda se vai ver. De qualquer forma, naquilo que no "presente" eu considero "passado", que já nem é "presente" nenhum ("presente" é agora), só por uma vez fui ao Bolhão, sendo que nunca antes lá tinha ido, nem tão-pouco lá regressei entretanto...
Mooncry disse…
Deixa as drogas :p

Anyway já fui "assaltada" (Edgar aos berros: "Eu avisei!!")...qdo cheguei a S. Bento ia carregada de malas, e levava a minha mala e a mala da maquina fotografica a tiracolo exactamente para não acontecer nada, e num bolso fácil de abrir estava o liquido pequeno das lentes e a caixinha delas... qdo cheguei a casa já não tinha isso! Não tem grande importancia até porque aquilo não me custou dinheiro nenhum! :p

Realmente o Porto tem pessoas com mto mau aspecto, mas até estou a gostar (excepto dos pedintes que pedem a cada esquina e parece que aumentam a cada dia que passa :S).. na Quinta à noite saí para ir levar o lixo e não encontrava nenhum contentor até que fui dar à Praça dos Poveiros lol eram só prostitutas a deambular por lá! enfim.. já tenho mtas histórias :)

E Lisboa!? Vai preparando as tuas forças porque parece que as coisas no Público estão mesmo mto, mto, mto más...e ainda tens que "aturar" o mau-humor de algum :) Mas BOA SORTE.. vou ficar a torcer!!

*
A disse…
quando ouvires a sirene do nevoeiro... isso sim é bonito, pelo menos eu acho, mas, toda a minha vida convivi com esse barulho.

as pessoas são feias cá para cima? lol, eu pensava que era só eu, afinal somos todos.

dá tempo à cidade, de certeza que ainda te surpreenderá pela positiva ;)
Mooncry disse…
Mas será possível que ninguem me entenda? Eu estou a gostar do Porto (cidade!!), acho que nunca disse o contrário... mas o que é facto é que as pessoas em Coimbra têm melhor aspecto!

Ou seja, passa-se "mais fome" no Porto do que em Coimbra... os pedintes têm mau aspecto, e há pessoas na rua também com mto mau aspecto.. mas volto a dizer que estou a gostar! A gostar tanto que não me importava de lá ficar mais que tres meses.. só tinha de arranjar uma casa para meter os meus 5 gatos e um cão ;)

E nunca disse que as pessos são feias lol ainda nem tive tempo para comparar... o que é feio é o mercado lol mas só porque está "podre"! De qualquer forma a irreverência das comerciantes têm a sua piada! eheh

Mensagens populares